Bem-estar

22/08/2016 10h00

Otite Média Aguda: A famosa dor de ouvido das crianças

A dor de ouvido infantil, mais comum no inverno, traz preocupações aos pais e dor às crianças. No entanto, cuidados específicos podem contribuir para que os pequenos tenham um inverno mais saudável.

Por Reinaldo Cóser Neto

Arquivo Nosso Bem Estar
Otite

Em crianças, que tem episódios frequentes de otite, pode permanecer secreções atrás do tímpano sem que haja dor “entre uma otite e outra”

A  otite média aguda é uma das mais comuns causas de dor de ouvido na infância, principalmente durante o inverno. 

Mas por que ‘média’ se é tão forte, da febre, choro e acorda os pais a noite? O termo ‘média’ é atribuído a uma das partes do ouvido, que é divido em 3 partes:

Orelha Externa: da orelha até o tímpano, local da otite externa, mais comum no verão.

Orelha Média: região atrás do tímpano, onde existe um cavidade normalmente cheia de ar e há alguns ossículos que fazem a transmissão do som do tímpano até a orelha interna.

Orelha Interna: responsável pela transformação do som em estímulos neurológicos que serão ‘percebidos ou sentidos’ pela pessoa. Nela também encontra-se o labirinto, responsável pelas informações sobre os movimentos que se refletem sobre o equilíbrio.

Agora, voltando à orelha média, foco dessa conversa, ela é mantida arejada por ter uma comunicação direta com o nariz. O som só se transmite perfeitamente quando há ar nessa cavidade. Por isso, durante o inverno, quando doenças como resfriados, gripes, rinites e sinusites se intensificam, há prejuízo deste arejamento e aumenta a incidência da otite média.

Na criança a função de arejamento do ouvido é mais facilmente afetada, devido principalmente ao tamanho e angulação dessa comunicação com o nariz (chamada de tuba auditiva), que tem, entre suas funções, mantê-lo arejado e drenar secreções produzidas no ouvido até o nariz.

Entre outros fatores predisponentes, o aumento de tamanho da adenóide (uma ‘terceira amigdala’ no fundo do nariz, que nas crianças pequenas pode ter seu tamanho muito aumentado) pode eventualmente obstruir esta comunicação entre o nariz e o ouvido e tornar a criança mais suscetível ainda para a instalação dessa doença.           

A otite média pode também ocorrer em adultos sob circunstâncias específicas: após alguma inflamação da via aérea superior que possa acometer via de comunicação entre o ouvido e o nariz - resfriado, gripe ou sinusite. Ainda, pode acontecer após viagens de avião ou de carro onde há descida ou subida de serra, devido à mudança de pressão do ar atmosférico de forma brusca, de modo que a tuba auditiva não seja capaz de compensar tal variação. O mesmo pode ocorrer em mergulhos aquáticos.

Em crianças, que tem episódios frequentes de otite, pode permanecer secreções atrás do tímpano sem que haja dor “entre uma otite e outra”, a chamada Otite Serosa ou com Efusão. Muitas vezes, não há nenhum sinal dessa forma de otite. Em outras a criança sinaliza a sensação levando a mão ao ouvido. Este sinal, às vezes, é mal interpretado pelos pais como dor, no entanto, essa doença não causa dor. A otite serosa gera surdez parcial e transitória, tão duradoura quanto o tempo em que a secreção permanece atrás do tímpano.

No entanto, quando persistente pode inclusive causar atraso no desenvolvimento da fala. Se isso estiver acontecendo, é frequente a indicação de colocação de tubo de ventilação (timpanostomia temporária, ´´tubinho´´) - procedimento cirúrgico comum e eficaz, que também pode auxiliar na diminuição da frequência dos episódios de Otite média aguda recorrentes.

O tubinho passa a fazer as vezes da tuba auditiva, mantendo o ouvido arejado e sempre com a mesma pressão da atmosfera, dispondo a melhor eficiência ao ouvido outrora acometido pela doença, melhorando a qualidade de vida e otimizando o desenvolvimento da criança, ou resolvendo o problema no adulto portador de distúrbio da função tubária.

Todavia, a cirurgia é considerado o último dos recursos. O ideal é o tratamento dos fatores predisponentes como as  doenças alérgicas, o tamanho da adenóide (tendo indicação também cirúrgica em determinados casos), a prevenção de resfriados e gripes, a instrução sobre a amamentação, tratamento clínico e cuidados sobre refluxo. Além do tratamento adequado dos episódios isolados de otite média aguda, com uso correto de antibióticos e demais remédios. Dessa forma, é possível prevenir e/ou tratar a otite média visando uma infância alegre e com bom desenvolvimento.

Reinaldo Cóser Neto é médico Otorrinolaringologista

X