Saúde Integral

22/08/2016 08h00

Ventosaterapia

Técnica milenar que chamou a atenção nas Olimpíadas é muito eficiente para uma série de problemas

Por Nosso Bem Estar

Arquivo Nosso Bem Estar
Ventosa

A ventosaterapia é uma técnica muita antiga que foi utilizada por muitas culturas.

Quem assistiu aos jogos olímpicos do Rio certamente notou algo diferente no corpo do nadador Michael Phelps e de outros atletas: a presença de manchas rochas em forma de círculo espalhadas pelo corpo. Muitas pessoas acreditaram que os hematomas poderiam ser resultado de alguma pancada, batida ou até mesmo excesso de treino, porém as marcas nada mais eram do que resultados de uma terapia de recuperação muscular, conhecida como ventosaterapia. Se você ficou curioso, no artigo de hoje vamos falar sobre essa terapia, quando ela é utilizada e quais são os seus benefícios.

O que é a ventosaterapia?

A ventosaterapia é uma técnica muita antiga que foi utilizada por muitas culturas. Há registros da técnica em diferentes locais do mundo, como China, Egito, Índia e também na Grécia, por exemplo. Foi Hipócrates o médico grego, que viveu nos anos 400 A.C, quem deixou as primeiras indicações detalhadas de como utilizar esse tipo de terapia. Atualmente, a ventosaterapia é mais usada na medicina chinesa, e pessoas de todas as idades se submetem à técnica.

Como a técnica é realizada?

Por se tratar de um procedimento de relaxamento, a técnica requer um ambiente calmo e tranquilo para sua realização. A ventosaterapia consiste em aplicar copos de vidros ou plásticos resistentes em forma de ventosas sobre o corpo do paciente. Eles podem ser aquecidos com fogo para que o oxigênio no interior dos mesmos seja consumido. Assim que o oxigênio é consumido gera-se um vácuo dentro dos copos e estes ficam literalmente grudados ao corpo do paciente. Também podem ser presas de forma mecânica.

O princípio básico da ventosaterapia é recrutar sangue para área onde está sendo aplicado o vácuo. Esse sangue acumulado traz uma série de benefícios como:

Aceleração do processo de recuperação da musculatura

Após toda e qualquer prática de atividade física, a musculatura corporal tende a sofrer e precisa se recuperar. O sangue é o principal transportador de nutrientes do organismo, dessa forma, realizar a ventosaterapia após a prática de atividade física faz com que mais nutrientes, como proteínas e aminoácidos, por exemplo, ajam naquele local, acelerando o processo de recuperação.

Aumento da oxigenação da musculatura

Quanto mais oxigênio, mais potência muscular e menos cansaço e fadiga. Sendo assim, realizar a ventosaterapia em músculos específicos pode dar mais força para realização de determinados movimentos, como é o caso de Phelps, com marcas espalhadas pelas costas, ombros e peito, por exemplo.

Tratamentos de dores musculares e alívios de tensão nas articulações

O vácuo gerado sobre determinada musculatura tem a finalidade de aliviar a tensão, além disso, a presença de sangue resulta em maior concentração de oxigênio e nutrientes, o que, consequentemente, causa alívio de dores e tensões em músculos e articulações.

Pode-se utilizar a ventosa para produzir o “efeito massagem” que consiste em mover as ventosas sobre superfícies grandes e lisas do corpo, tais como as costas e as coxas.

Diferente do que muita gente pensa, a ventosaterapia não é uma técnica única e exclusiva para atletas: ela pode também ser feita por pessoas comuns que sofrem com dores, além, é claro, de esportistas amadores.

A aplicação das ventosas deixa frequentemente uma marca púrpura na pele aonde esta foi sugada, isto é normal e vai desaparecer sem tratamento especial, em poucos dias. 

 

Indicado também:

Desintoxicar o organismo

Lombalgias

Tratamentos para dores musculares

Dores abdominais

Cefaléia

Problemas digestivos

 Hipertensão arterial

 

E aí? Matou sua curiosidade? Gostou do texto? Compartilhe em suas redes sociais, para que mais pessoas também saibam sobre a ventosaterapia. Compartilhar conhecimento nunca é demais.

X