Crescimento pessoal

30/05/2016 10h00

A arte da superação

Entenda melhor como se desenvolve a capacidade do ser humano em superar as adversidades da vida, a resiliência.

Por Mérilin Kenne Mezera

Arquivo Nosso Bem Estar
Resiliencia adobestock

“Não é o mais forte que sobrevive, nem o mais inteligente, mas o que melhor se adapta às mudanças.”

Durante toda a nossa vida, é impossível não passarmos por qualquer tipo de adversidade. Uma briga com familiares e amigos, o término de um casamento, a morte de alguém muito querido, a demissão de um emprego, dificuldades financeiras, saúde frágil, são inúmeras as complicações com as quais nos deparamos. Porém, vivenciar essas adversidades pode ser traumático para uma pessoa a ponto de impedi-la de seguir sua rotina; já para outra pessoa passar por algumas dessas situações também é difícil, mas pode ser elaborado e superado.

Mas afinal, o que difere uma pessoa da outra?

Um dos motivos para que uma pessoa vivencie um evento adverso de forma diferente de outra está relacionado ao conceito de resiliência. O conceito de resiliência tem sua origem na física, trata-se da capacidade dos materiais de resistirem aos choques e pressões sem alterar suas qualidades. Mais tarde esse conceito foi assimilado pelas ciências humanas e adquiriu mais um sentido: expressão da capacidade de um ser humano de superar adversidades. Não se pode afirmar que uma pessoa é resiliente, mas sim que ela está resiliente, pois a resiliência não é um escudo de proteção que preservará aquele que o carrega, protegendo-o dos abalos emocionais que uma situação adversa pode causar. Estar ou não estar resiliente tem a ver com a condições ambientais, sociais e culturais que envolvem um indivíduo e com seus recursos internos (emocionais) para lidar com uma situação difícil. Tudo isso poderá influenciar na sua maneira de interpretar uma situação e encontrar saídas para resolver um conflito.

Como aprender a ter resiliência?

Bom, partindo do princípio de que a resiliência não é inata, mas sim aprendida ao longo da vida, acredita-se que é na infância que ela começa a ser desenvolvida, podendo ser aprimorada ao longo do tempo. As características de uma pessoa resiliente são autoestima positiva, habilidades de dar e receber em relações humanas, disciplina, responsabilidade, receptividade, interesse, tolerância ao sofrimento, grande capacidade de adaptação, otimismo, inclinação a aprender com as experiências vividas e capacidade de se defender.

Existem atitudes e comportamentos que ajudam a desenvolver a resiliência?

A resposta é sim! Você pode desenvolver sua capacidade de lidar com eventos estressores e adversos aprendendo a identificar e administrar o estresse, realizar exercícios físicos para aliviar tensões, buscar apoio (de um amigo, familiar ou de um profissional de saúde mental), preservar o seu porto seguro, aprender com seus erros, evitar ficar ocioso, evitar remoer pensamentos negativos e mágoas, ter um objetivo (e trabalhar para atingi-lo), buscar aprender sempre (seja curioso), aceitar a mudança (e a promover), fugir da procrastinação (resolva seus problemas!), aceitar que você não está no controle do mundo e que a vida muda sem mandar aviso!

Como dizia Darwin: “Não é o mais forte que sobrevive, nem o mais inteligente, mas o que melhor se adapta às mudanças.”

Mérilin Kenne Mezera é psicóloga

X