Bem-estar

09/05/2016 10h00

Acha que ‘é só uma gripe’? Não confie, pode ser H1N1.

A gripe H1N1 voltou a deixar o país em alerta. Saiba mais sobre a doença e descubra como diferenciá-la de uma gripe comum e combatê-la, protegendo você e sua família.

Por Nosso Bem Estar

Arquivo Nosso Bem Estar
Gripe

Os sinais e sintomas do contágio de H1N1 são semelhantes aos percebidos em alguém que contrai uma gripe comum, transmitida pelo vírus Influenza.

A gripe H1N1 é uma doença respiratória que atinge especialmente os porcos, por isso também é conhecida como gripe suína. Ela não deveria atingir os humanos, mas a situação acontece com frequência.

É uma doença contagiosa, ou seja, que pode se disseminar de pessoa para pessoa (não acontece pelo consumo de carne de porco). A transmissão se assemelha à do tipo comum de gripe, por tosses ou espirros gerados pelas pessoas infectadas e também pelo toque em objetos ou partes do corpo de quem possui a doença.

A infecção ocorre a partir do primeiro dia de contaminação, quando a gripe ainda não está desenvolvida, até sete dias depois (ou mais raramente) da manifestação dos sintomas. Portanto, é possível transmitir a doença mesmo sem saber que a possui.

É comum vírus ou bactérias sobreviverem de duas a oito horas em mesas, maçanetas, portas etc. Portanto, a infecção pode acontecer bem depois do contágio, ao tocar um objeto que alguém contaminado também tocou, ou pela presença em local onde o doente tenha espirrado ou tossido, mesmo que ele não esteja mais lá.

Sintomas da gripe H1N1

Os sinais e sintomas do contágio de H1N1 são semelhantes aos percebidos em alguém que contrai uma gripe comum, transmitida pelo vírus Influenza. É normal sentir febre, inflamação na garganta, tosse, dores no corpo, na cabeça, calafrios e cansaço extremo.

Também foram percebidos em pacientes acometidos por essa gripe: diarreia e vômitos, além de piora em doenças crônicas já existentes.

O que fazer para não ser contaminado?

Algumas atitudes, quando realizadas com frequência, diminuem as chances de contágio por H1N1. São elas:

• Ao tossir ou espirrar, cubra a boca e o nariz com um lenço descartável, jogando-o no lixo em seguida;

• Lave as mãos com água e sabão várias vezes ao dia, especialmente depois de tossir ou espirrar;

• Procure ter uma embalagem de álcool gel em sua bolsa, utilizando o produto diversas vezes por dia;

• Evite ao máximo tocar seus olhos, nariz ou boca. São portas de entrada para o vírus, caso você se contamine pelo toque de objetos;

• Não tenha contato físico com pessoas que você sabe que têm a gripe H1N1.

E se eu ficar doente, o que devo fazer?

Recomenda-se que o contaminado pela H1N1 não saia de casa, nem para ir ao trabalho ou à escola. O contato com outras pessoas também deve ser evitado ao máximo, diminuindo as chances de contaminação.

Ao tossir ou espirrar, cubra o nariz a boca com lenços de papel, descartando-os imediatamente. Se não tiver o produto em casa, use o dorso da mão e lave-a muito bem em seguida, utilizando álcool gel.

Lave corretamente as mãos

Lavar as mãos com frequência evita que você entre em contato com germes e vírus, incluindo o da gripe H1N1. Para fazer uma higienização adequada, utilize água quente e sabão, esfregando as mãos de quinze a vinte segundos. Não se esqueça do espaço entre os dedos!

Caso você não possa fazer essa higiene várias vezes ao dia, tenha lenços umedecidos ou álcool gel na bolsa, produtos facilmente encontrados em supermercados e farmácias. O modo correto de usar álcool gel é esfregá-lo nas mãos e dedos até que o produto seque totalmente.

Tratamento

O melhor remédio para a H1N1 é a prevenção. Porém, caso a pessoa se contamine, algumas opções são indicadas para alívio dos sintomas:

• Uso de medicamentos específicos;

• Descanso;

• Hidratação constante;

• Utilização de remédios naturais, como mel, macela, camomila, gengibre, boldo, eucalipto, própolis e alho (são feitos chás com essas plantas medicinais).

É imprescindível procurar um médico para diagnosticar a doença. A gripe H1N1 é uma condição muito séria, que pode ser letal em alguns casos, mas com pequenos cuidados como estes podemos diminuir as chances de contágio. Faça sua parte.

Sinais de alerta

Muitas pessoas não procuram um médico quando percebem sintomas da gripe, pois acreditam que seja a doença do tipo comum. Para diferenciá-la da H1N1, recomenda-se a procura pelo especialista, principalmente se alguns sintomas estiverem presentes.

Em crianças:

• Respiração difícil ou acelerada;

• Pele de tonalidade azulada;

• Pouca ingestão de líquidos;

• Falta de interação;

• Sono intenso;

• Irritabilidade extrema;

• Febre, piora da tosse e manchas avermelhadas na pele.

Em adultos:

• Vômito;

• Respiração dificultosa;

• Dor no peito;

• Tontura;

• Confusão mental.

Novamente as atenções se voltam para os riscos de propagação do H1N1. Calafrios, dores no corpo e na cabeça, febre e cansaço extremo são os principais sintomas da gripe suína, que pode ser transmitida através de espirros, tosses, objetos ou ao tocar a pessoa infectada.

Além dos medicamentos específicos, é recomendado o repouso absoluto, uma hidratação constante e a utilização de remédios naturais como mel, camomila, boldo, própolis e até mesmo alho.

X