Família

19/04/2016 09h00

Conheça a criação com apego

Entenda o que falam as novas gerações de pais e mães, que buscam um relacionamento mais afetuoso e saudável com seus filhos

Por Nosso Bem Estar

Arquivo Nosso Bem Estar
Educa%c3%87%c3%83o posotova

A criação com apego, do inglês Attachment Parenting (AP), é uma filosofia que promove diversas práticas familiares com o objetivo de criar vínculos emocionais fortes e saudáveis entre pais e filhos

Criação com apego e disciplina positiva são duas expressões que não saem da boca de pais e mães da blogosfera. Entenda no artigo de hoje o que falam as novas gerações de pais e mães e quais são os princípios que orientam essa nova possibilidade de relação entre pais e filhos.

O que é a criação com apego?

A criação com apego, do inglês Attachment Parenting (AP), é uma filosofia que promove diversas práticas familiares com o objetivo de criar vínculos emocionais fortes e saudáveis entre pais e filhos. Segundo a AP, crianças que são criadas com essas práticas possuem mais chances de se tornarem adultos confiantes e afetuosos, além de construírem relacionamentos saudáveis por toda a vida.

A criação com apego é fundamentada em oito princípios básicos, que destrincharemos a seguir.

Os 8 princípios da criação com apego

1. Preparando para a Gestação, Nascimento e Criação

O primeiro princípio da criação com apego diz respeito ao momento anterior da chegada do bebê. Nessa etapa, o conselho é que os cuidadores estudem sobre como passar pela gestação da melhor e mais saudável forma possível, cuidando da alimentação e do corpo da mãe. A pesquisa de diferentes tipos de parto, consulta com médicos de diferentes filosofias e doulas também são essenciais.

Os pais devem procurar por informações sobre a fisiologia do parto, cuidados com o recém-nascido, aleitamento, e sobre sono e sexualidade durante a gestação. O relacionamento dos pais do bebê também deve ser cuidado e protegido nessa fase. É importante abrir todos os canais de comunicação para que falem sobre suas experiências familiares, medos e expectativas, além de criar mecanismos de apoio constante entre os dois.

2. Alimentando com Amor e Respeito

Segundo os princípios da criação com apego, a amamentação é a primeira forma de criar um vínculo forte e duradouro com o bebê. Muitos pais que acolhem essa filosofia praticam a amamentação sob demanda, ou seja, nutrem o bebê quando ele pede ou dá sinais, sejam de fome ou de necessidade de conforto. Da mesma forma, a orientação é que o desmame gentil e o início da alimentação com sólidos deve educar desde cedo o bebê para hábitos alimentares saudáveis, sem industrializados e com comida viva e nutritiva.

3. Respondendo com Sensibilidade

Bebês e crianças ainda não possuem maturidade para lidar com as suas emoções e sentimentos mais intensos. Por isso, atingem rapidamente altos níveis de estresse, acompanhados de longas sessões de choro ou ataques de raiva. Como não conseguem se acalmar sozinhos, é muito importante a resposta contínua e consistente dos pais, que acaba por ensinar o bebê ou a criança a se acalmar sozinho.

4. Usando o Contato Afetivo

A abundância de contato afetivo, colo e toque dos pais e cuidadores acaba gerando bebês mais calmos, que choram menos e se desenvolvem física e intelectualmente melhor. Massagens, amamentação, carregar o bebê usando sling, banhos e sono compartilhados são formas muito interessantes de manter o contato de pele entre os pais e a criança. Quando mais velho, jogos e brincadeiras com contato e proximidade física, como lutas e cócegas, além de carinho físico, abraços e cafuné constroem hábitos para toda a vida.

5. Garantindo um Sono Seguro, Física e Emocionalmente

Esse princípio orienta que os pais atendam às necessidades do bebê durante a noite da mesma forma que o fazem durante o dia. Para isso, é importante que os pais testem diferentes formas até encontrarem a mais benéfica. O co-sleeping, por exemplo, é a técnica de dormir próximo ao bebê, acomodando o berço no quarto, de modo que a criança pode ser amamentada sob demanda durante a noite.

6. Provendo Cuidado Consistente e Amoroso

O ideal é que a nova família crie uma nova rotina que absorva as necessidades das crianças. Buscar por cuidadores de confiança, de preferência, dentro do círculo próximo de amigos e familiares, pensar em estratégias para inserir o bebê confortavelmente em rotinas de saídas noturnas e lazer, buscar por alternativas de trabalho com horários flexíveis e diminuir a ansiedade da ausência dos pais com momentos de reconexão afetuosos após a separação é importante para o desenvolvimento da criança.

7. Praticando a Disciplina Positiva

O cerne da disciplina positiva é abandonar a tradicional, que utiliza o medo e a ameaça de punições para moldar comportamentos. No lugar dela, a sugestão é que os pais procurem entender as necessidades por trás das atitudes dos filhos e tragam a criança para junto de si, procurando resolver os problemas em conjunto e evitando trazer à tona sentimentos negativos, como raiva e mágoa. Além disso, a disciplina positiva acredita fortemente no exemplo como poderoso recurso didático e na empatia como o melhor caminho para resolver conflitos.

8. Mantendo o Equilíbrio entre a Vida Pessoal e Familiar

A chegada de bebês e a rotina de filhos pequenos podem trazer sensações de exaustão e angústia. Por isso, a busca do equilíbrio deve ser constante. Os pais devem reservar tempos para si próprios, individualmente e como casal, e devem cuidar de si. Isso significa comer bem e se exercitar, equilibrar suas atividades profissionais com o tempo passado em família, e as tarefas de casa com atividades de lazer pessoais, assim como hobbies e estudos.

Você aplica algum dos princípios da criação com apego em sua casa? Compartilhe conosco suas experiências!

X