Planeta

08/04/2016 08h00

O perigo que vem das lâmpadas

As fluorescentes são eficientes, mas é preciso ter cuidado, pois podem ser muito danosas

Por Nosso Bem Estar

Arquivo Nosso Bem Estar
Lamp

No interior dessas lâmpadas há substâncias como gás mercúrio, que é tóxico e oferece risco de incêndio, além de chumbo

As lâmpadas fluorescentes compactas nada mais são do que tubos fluorescentes que são enrolados de um jeito apertado, que simula o formato de uma lâmpada tradicional. Elas são conhecidas no mundo dos eletricistas e engenheiros elétricos como CFLs. Projetadas para soquete padrão, têm sido utilizadas no lugar das lâmpadas antigas, pois duram maior período de tempo, além de serem mais econômicas.

O que muita gente não sabe é que no interior dessas lâmpadas há substâncias como gás mercúrio, que é tóxico e oferece risco de incêndio, além de chumbo. Dessa forma, é muito importante para a segurança que se preste atenção aos avisos e instruções contidos nas embalagens. Confira a seguir os principais perigos desse tipo de lâmpada.

Perigos das lâmpadas fluorescentes

Os principais riscos que esse tipo de lâmpada oferece aos usuários são:

Vidro quebrado

Esse tipo de lâmpada quebra quando queima ou então quando possui algum tipo de mau funcionamento. Além do gás tóxico de mercúrio que é liberado, é necessário muito cuidado ao manusear uma lâmpada quebrada, pois os ferimentos demoram a cicatrizar.  Portanto não se deve varrer os cacos de vidros provenientes de uma quebra, e sim, juntar os pedaços manualmente, utilizando fita adesiva, colocar em uma pequena caixa de papelão e descartar de maneira correta.

Vapor de mercúrio

É sem sombra de dúvidas o maior risco oferecido pelas lâmpadas fluorescentes compactas. Nessas lâmpadas, o mercúrio é utilizado como vapor no gás fluorescente que fica dentro da lâmpada e é liberado de forma imediata quando a lâmpada se quebra.

É um tipo de metal que, se inalado, pode ser absorvido rapidamente pelos pulmões e ser distribuído pelo sistema sanguíneo, podendo causar danos permanentes. Portanto, se uma lâmpada dessas quebrar, tampe imediatamente boca e nariz, abra o cômodo para que o ar circule e somente depois disso faça a remoção dos cacos e demais pedaços da lâmpada.

Incêndio

Essas lâmpadas são projetadas para funcionarem apenas com os tradicionais interruptores. Quando instaladas em soquetes que fazem uso de dimmer, podem apresentar problemas ou então até mesmo nem funcionar. Nesses casos, podem soltar fumaça, explodir e dar início a um incêndio. Antes de fazer uso dessas lâmpadas, é preciso se certificar de que o sistema elétrico do local seja compatível.

Perigos ao meio ambiente

Por conter metais pesados como chumbo e mercúrio em sua composição, essas lâmpadas não podem ser descartadas em lixo comum, caso contrário, elas irão para lixões ou então em aterros sanitários, o que pode causar acidentes com os catadores de lixo e também gerar contaminação de solo e lençóis freáticos.

Embora sejam econômicas e proporcionem grande redução da conta de energia elétrica, é preciso cuidado e atenção para fazer uso desse tipo de lâmpadas. Fique atento e siga todas as orientações do fabricante para que sua família não seja colocada sob risco de acidentes e posteriores contaminações. Seguindo as instruções determinadas pelo fabricante, os riscos diminuem e o uso se torna mais correto e tranquilo.

E você, já sofreu algum tipo de acidente com lâmpadas fluorescentes? Como lidou com a situação? Compartilhe sua história através dos comentários.

X