Saúde Integral

28/03/2016 19h16

Cuidado com o desodorante: ele pode fazer mal para a saúde!

Elementos presentes nas fórmulas de desodorantes e antitranspirantes estão sendo estudados pelo seu potencial tóxico ao organismo e ligados aos crescentes casos de câncer de mama

Por Nosso Bem Estar

Arquivo Nosso Bem Estar
Woman deodorant

Desodorantes e antitranspirantes são produtos diferentes, mas que compartilham a mesma prateleira das farmácias e dos supermercados.

Com os recentes estudos que ligam o uso de desodorantes e antitranspirantes de efeito prolongado a prováveis casos de câncer de mama em mulheres, esses produtos tão necessários à nossa higiene pessoal passaram a ser o alvo de médicos e cientistas das mais diversas áreas, além de institutos como a ANVISA, o Instituto Nacional de Câncer dos Estados Unidos e a Food and Drug Administration (FDA), também dos EUA.

Antes de sair correndo e jogar fora todos os produtos do seu banheiro, entenda quais são os produtos que, de fato, podem fazer mal para a saúde, e como fazer para escolher a melhor opção para a sua família.

Entenda a diferença entre desodorantes e antitranspirantes

Desodorantes e antitranspirantes são produtos diferentes, mas que compartilham a mesma prateleira das farmácias e dos supermercados. É importante entender a diferença entre eles e saber exatamente o que você está comprando.

Como funcionam os desodorantes?

Os desodorantes são produtos desenvolvidos com uma função específica: reduzir o odor do suor e eliminar o mau cheiro das axilas. Pouca gente sabe, mas o suor, em si, não possui nenhum odor quando é eliminado pelas nossas glândulas sudoríparas.

No entanto, como as axilas costumam ser ambientes, úmidas e com grande oferta de matéria orgânica (as gorduras e proteínas liberadas junto com o suor) se tornam o ambiente ideal para as colônias de bactérias. E é essa atividade bacteriana que produz o cheirinho desagradável de nossas axilas.

Os desodorantes agem então como antissépticos, que evitam o crescimento das bactérias fermentadoras de suor.

Como funcionam os antitranspirantes?

Já os antitranspirantes possuem uma função diferente: impedir a transpiração, bloqueando a saída do suor para a pele. Para fazer isso, sua fórmula contém sais de alumínio que fecham os poros da pele da região. Quanto mais potente e de mais longa duração o antitranspirante, maior é a concentração de alumínio em sua fórmula. É importante frisar que os antitranspirantes não impedem o corpo de transpirar, o suor continua sendo produzido, mas fica retido sob a pele.

Em países quentes como o Brasil, o uso de antitranspirantes é muito mais frequente do que em outros lugares do mundo. Em muitos países da Europa, por exemplo, a procura maior é por desodorantes, já que a transpiração é muito menor.

O agente da discórdia: os sais de alumínio presentes nas fórmulas dos produtos

Diversas pesquisas recentes têm descoberto a presença de alumínio no tecido mamário em níveis muito maiores do que a concentração do elemento no sangue, e se debruçam na possibilidade de que a aplicação tópica de antitranspirantes possa estar contaminando as mamas com sais de efeito tóxico para o organismo.

No entanto, como disse o toxicologista, Philip W. Harvey, que conduziu uma pesquisa que encontrou alumínio em tecidos cancerosos: “a falta de evidência não é evidência da falta de efeitos danosos”. E precisamos, sim, nos preocupar com um produto que estamos aplicando diretamente em nossa pele todos os dias de nossas vidas.

Como se proteger de potenciais males causados pelo alumínio?

A principal escolha que deve ser feita é optar por desodorantes sem alumínio em vez dos antitranspirantes e sempre opções sem aerossol, como cremes e roll-ons. O aerossol é ligado a muitos problemas dermatológicos, como poros inflamados, pelos encravados e até mesmo o aparecimento de cistos nas axilas.

No entanto, se você não conseguir abrir mão desses produtos de imediato, evite aqueles que se apresentam como fórmulas de longa duração, como os de efeito de 24, 36 ou 48 horas.                                                                        

Existem ainda substitutos mais naturais. Muitas lojas especializadas em cosmetologia orgânica e de produtos naturais já vendem desodorantes feitos de óleos essênciais e essências, que possuem o mesmo efeito antisséptico dos produtos com ingredientes sintéticos. Para quem quer ir mais longe e fugir dos produtos industrializados em geral, uma boa forma de limpar as axilas e evitar o mau cheiro é uma solução de bicarbonato de sódio ou o uso do velho e bom leite de magnésia.

Você já utiliza opções mais naturais para desodorizar as axilas? Compartilhe suas experiências com a gente nos comentários.

X