Crescimento pessoal

02/09/2015 15h04

Desenvolva suas potencialidades com o coaching

A técnica facilita o alcance de metas pessoais e profissionais, trazendo equilíbrio e satisfação.

Por Elisa Dorigon

ShotShare/IStock/NBE
Istock 000019644671 medium

A técnica facilita o alcance de metas pessoais e profissionais, trazendo equilíbrio e satisfação.

Alcançar metas pessoais e profissionais e sentir-se realizado não é tarefa fácil, principalmente nos dias de hoje, em que as exigências de sucesso são cada vez maiores e a competitividade tão intensa. Se por um lado o mundo atual nos apresenta tantas demandas, por outro, a quantidade de ferramentas que podemos utilizar, como forma de apoio e suporte para atingir nossos objetivos, também é grande.

Uma técnica bastante utilizada no momento, cujos resultados têm se mostrado surpreendentes, é o coaching, palavra inglesa que indica uma atividade em que um instrutor/treinador (coach) ajuda o seu cliente (coachee) a evoluir em diferentes áreas da vida.  Independentemente de qual seja o objetivo, o coaching possibilita não apenas atingir metas definidas, como também ajuda a estabelecê-las e, posteriormente, alcançá-las.

Com a ajuda da técnica, é possível realizar mudanças de forma rápida, porém, duradoura. As sessões podem ser individuais ou em grupo, semanais, de quinze em quinze dias ou mensais, pois é um processo totalmente flexível, cuja frequência varia de acordo com a necessidade e o desenvolvimento do trabalho.  E como pode ser aplicado em qualquer contexto, é indicado tanto para questões pessoais como empresariais.

 

Um método dinâmico

A Treinadora Comportamental Raquel Schmitt, que trabalha com Life Coach e Programação Neurolinguística, define a técnica como um processo de descoberta de valores, desenvolvimento de potencial, habilidades e inteligências próprias, com objetivo de atingir metas em diversas áreas da vida e, assim, alcançar a excelência pessoal. “É um processo de autoconhecimento, que visa a remover bloqueios por meio da consciência do controle e uso correto do pensamento e das emoções. O treinamento atua na mudança de crenças e hábitos prejudiciais, que acabam por interferir no desempenho de atividades profissionais, geram problemas de comunicação nas relações interpessoais e podem até culminar no desenvolvimento de doenças”, exemplifica a treinadora.

Raquel trabalha o coaching junto a técnicas da Programação Neurolinguística, metodologia que trata da estrutura da experiência humana subjetiva e de como filtramos o mundo externo com o auxílio de nossa percepção sensorial, formando, assim, nossas crenças. “Trata-se do uso das palavras (linguística) para atingir a mente (neuro) e produzir uma ação/programação”, explica.

Segundo Raquel, o trabalho consiste em conversas estruturadas, baseadas num conjunto de modelos e estratégias utilizadas para uma comunicação verbal e não verbal positiva, testes de personalidade, dinâmicas de associação e dissociação, visualização criativa, plano de ação, desenvolvimento do uso da linguagem corporal, entre outras. O coachee (cliente) desenvolve a capacidade de empatia, a percepção sensorial, o pensamento focado nos resultados e a flexibilidade comportamental. “O treinamento é uma parceria entre o treinador e seu cliente, não apenas nas sessões, mas também fora delas. São propostas tarefas para que o coachee sinta-se comprometido consigo mesmo no processo da mudança que o cérebro precisa assimilar e, por outro lado, o treinador faz o acompanhamento mantendo o cliente motivado”, relata.

Catalisador de mudanças

 

O advogado e empresário Eduardo Bonfiglio é um ótimo exemplo das mudanças que a técnica trouxe para sua vida e que, hoje, como Master em Coaching, proporciona na vida de seus clientes. “Trabalhei 10 anos como advogado, mas, frustrado com as injustiças da justiça, resolvi me tornar empresário, e assim foi, por 14 anos. Mas a gestão de pessoas sempre foi um tema que me fascinou, assim como a filosofia. Como empresário, fiz pós-graduação em Dinâmica de Grupos e em Filosofia, quando descobri o coaching”, conta. Para Eduardo, o interessante do coaching é a obtenção de resultado em um curto lapso de tempo. “Unir a base filosófica e a empresarial me permitiu fazer grandes mudanças não somente na minha vida como nas minhas empresas”, diz o ex-empresário, que hoje se dedica exclusivamente ao coaching.

Por sua formação empresarial e especialização em grupos, tem usado a técnica em ambientes empresariais para alinhar os valores da empresa. Após analisar os reais valores, missão e visão da empresa, leva-os ao conhecimento dos principais líderes por meio do coaching. “Dessa forma, formamos equipes de alta performance, buscando um mesmo objetivo. Temos casos de redução de rotatividade de 23% para 9% e aumento de lucratividade de 17%, no período de três meses”, relata.

Já o diretor do Instituto de Coaching Intência Cláudio Goidanich Kraemer define a técnica como a arte de descobrir o revolucionário e expressá-lo por meio da progressividade das mudanças efetivas. Como forma de debater o tema, o Instituto realiza, em Porto Alegre, toda última segunda-feira do mês, um evento chamado Café do Coaching e reúne profissionais que trabalham diretamente com pessoas. Em cada encontro, o facilitador introduz o tema mais votado e o aprofunda com a participação de todos os presentes. Como suporte para as discussões, os participantes contam com ferramentas exclusivas do Instituto, específicas para o processo de mudança por meio do coaching. “É um encontro marcado com você mesmo, pois seus colegas o acolherão como espelhos inteligentes e farão com que você se reconheça”, afirma Cláudio. 


O coaching e o medo de dirigir

 

A técnica de coaching também pode ser aplicada para vencer nossos medos e ultrapassarmos barreiras até então intransponíveis.  Uma delas, bastante comum, é o medo de dirigir.

A psicóloga e Master Coach Patrícia Lemos desenvolve, desde 2011, um processo de coaching chamado Vença o Medo de Dirigir. “Muitas pessoas, quando sentam ao volante, passam por situações de ansiedade e sentem sintomas físicos como suor, pulsação acelerada, tremores e mal-estar. Todos esses sintomas surgem por causa dos pensamentos, e qualquer pessoa pode passar por isso”, relata.

O processo de coaching para vencer o medo de dirigir tem duração de 10 a 12 consultas, acompanhadas de aula prática. “Os benefícios acontecem à medida que trabalhamos a construção do pensamento. O processo de coaching é igual ao de toda obra: é preciso destruir primeiro alguns padrões, fazer uma limpeza nos pensamentos e começar a reconstruir”, diz a psicóloga.

 

 
 

TIPOS DE COACHING

Vida – relacionamentos, vocação, carreira, equilíbrio, aposentadoria e bem-estar.

Negócios – carreira, equipe, crise e transição, estresse, mudança e orientação profissional.

Executivo – propósito, performance, valores, missão, autoconhecimento.

Liderança – perfil de personalidade e autoconhecimento. 

 

 

QUANDO E PARA QUE FAZER COACHING?

•Você frequentemente desiste no meio ou procrastina o que tem que fazer?

•Sua vida pessoal ou profissional não está caminhando para onde você quer e você não sabe o que exatamente mudar?

•Alguma área da sua vida gera conflitos sem solução?

•Você é bem-sucedido em alguma área, mas isso gera insatisfação em outra?

•Outras pessoas não fazem o que você quer e isso o impede de atingir suas necessidades?

•Você lidera, mas tem dificuldade de cumprir com suas obrigações?

•Você está desmotivado ou insatisfeito e deseja saber o que está acontecendo?

•O que você quer para seu futuro?

•Busca por excelência de vida?

 

Mudanças externas gerando conflitos:

•provas, concursos, escolha ou mudança profissional

•gravidez, casamento;

•relacionamento amoroso, familiar, profissional;

•emagrecimento, melhorar forma física, saúde;

•melhorar no desempenho trabalho;

•melhorar a comunicação;

•mudança de hábitos.

 

RESULTADOS DO COACHING:

– autoconhecimento e crescimento pessoal e profissional;

– desenvolvimento de liderança;

– desenvolvimento da inteligência emocional;

– elaboração e conquista de metas;

– identificação e transformação de crenças e hábitos limitantes;

– superação de limites e obstáculos;

– desenvolvimento de capacidades e competências;

– melhora significativa dos relacionamentos;

– melhora significativa da criatividade e capacidade de aprender;

– aumento da autoestima e autoimagem;

– melhora na formulação de ideias;

– melhora do nível de atenção;

– consciência corporal, linguagem não verbal;

– aumento da empatia, aprender a conquistar as pessoas;

– melhora da comunicação e relações interpessoais;

– proatividade e motivação.

 

UM COACH CHINÊS

Escrito por Eduardo Bomfiglio, narra a história de Willian, um jovem inglês impetuoso e arrogante, que se importa somente consigo. Após encontrar na cidade de Londres, por três vezes consecutivas, em um curto espaço de tempo, um senhor de feições orientais, o jovem Willian, intrigado com as casualidades, aceita o convite do senhor Zhi Won para viajar ao interior da China a fim de visitar seus familiares e adquirir artigos para sua loja de antiguidades. Inicia-se, então, uma jornada que muda a vida de Willian. Por meio de parábolas, citações de Lao-Tsé, Confúcio e Buda, e pelas ferramentas do processo de coaching, o jovem Willian vai percebendo suas limitações e os pontos a serem melhorados, mas também suas habilidades e competências. Tendo adquirido consciência de sua capacidade, traça seu objetivo, que buscará atingir quando regressar a Londres.

 

DEPOIMENTOS

“O trabalho de coaching me trouxe organização pessoal. Meu desenvolvimento profissional foi impulsionado a partir desse trabalho, encontrei novas formas de estruturar minha vida pessoal, afetiva e profissional. Creio que seja a melhor maneira de parar e refletir sobre os motivos que levam ao insucesso profissional e pessoal. A partir do coaching obtemos um roteiro prático e objetivo para conduzir nossa vida em todas as áreas. Estou vivenciando uma nova fase, em que o foco no meu objetivo é mais claro”.  V. E., empresária.

“Busquei o processo de coaching para poder definir melhor o rumo a tomar, refletir sobre meu propósito, definir metas, priorizar investimentos. Com o coaching pude refletir que área de minha vida precisava de mais atenção, fixei metas e as atingi. Consegui superar medos, consegui clientes, foi muito bom para me organizar melhor, definir prioridades, para me comunicar melhor. Eu recomendaria o coaching porque ajuda a se organizar melhor, a definir metas, separar cada passo a ser seguido e ver que é possível realizar sonhos. Hoje penso que farei novamente, pois muitas coisas mudaram em minha vida desde que fiz, tenho novas metas e objetivos a serem alcançados.” Lu Bezzi - advogada, terapeuta floral e reikiana.

X