Família

31/10/2013 04h14

Iniciação esportiva infantil é fundamental para a socialização

Educação corporal e incorporação da necessidade de regras são alguns dos benefícios

Por Nosso Bem Estar

STOCK.XCHNG/DIVULGAÇÃO/NBE
Inicia%c3%a7%c3%a3o esportiva infantil

Quando as crianças começam com a prática esportiva, iniciam também suas relações com seus pares, começam a se socializar. É muito importante que essa escolha seja pessoal. O conceito de iniciação esportiva signifi ca incentivar a criança a gostar de utilizar o corpo e também para que se inicie no universo das regras dadas pelos outros.

Nesta etapa se procura essencialmente que a criança adquira as habilidades físicas e psíquicas básicas para competir, sem abandonar a experiência lúdica do esporte. Por isso é importante que a criança consiga descobrir todo o potencial de movimento que há nela, mediante a realização de tarefas apropriadas com seu grau de evolução individual.

O mais valioso nesta fase é adaptar o esporte às crianças e não as crianças ao esporte. O ensino se direciona a educar o corpo por meio do movimento. É importante que os pais incentivem a prática esportiva de seus filhos porque, dentre outras coisas, o esporte propicia saúde. Além disso, a prática de esportes ajuda as crianças no seu desenvolvimento social e físico.

De fato, quando a gente pergunta quais são os motivos frequentes da participação das crianças nos esportes, surgem deles respostas muito claras: “brincar com outros amiguinhos”, “para me divertir”, “para jogar melhor”. Portanto, o apoio dos pais é fundamental, mas a escolha do esporte deve ser das crianças.

É comum que os pais insistam sobre o esporte que a criança deve praticar. E muitas vezes deixam de dar prioridade a questões fundamentais como, por exemplo: se a criança gosta desse esporte, se tem condições físicas para praticá-lo, se ela gosta de esporte individual ou coletivo/grupal etc.

É muito importante identificar qual prática ela prefere. Quando a questão da escolha não é atendida, é bem provável que a criança não tenha um bom rendimento nesse esporte e, mais importante ainda, as crianças começam a colocar justificativas para não ir aos treinos, seja porque têm dor de barriga, porque estão cansados ou porque não têm os tênis que gostariam de ter etc.

Em outras ocasiões, as razões para justificar o abandono passam por darem importância excessiva ao desempenho, à existência de conflitos ou relações pouco amistosas com o treinador ou, também, o sentimento de não progredir. Desta maneira as crianças podem expressar sua desconformidade com a escolha do esporte. Esta situação pode levá-las a perder o entusiasmo e mostrar desinteresse com o esporte.

O grande desafio de ajudar aos filhos a serem felizes começa por aprender a escutá-los. Não se deve projetar no filho a própria vontade ou vocação. Deixe que eles escolham seus caminhos e os apoiem.

 

Fonte: Jornal Bem Estar

X