Bem-estar

10/06/2015 09h36

Boas dicas para viajantes

Vai viajar? Leia aqui o que você precisa para curtir bastante e não passar apertos desnecessários.

Por Nosso Bem Estar

DollarPhotoClub/NBE
Sec mar dollarphotoclub 45027434

Viajar sem descuidar de sim mesm@!

VIAGENS AÉREAS

Menos ar no avião e no corpo

Dentro do avião há menos oxigênio disponível que em nosso ambiente, devido à pressão atmosférica, que é equivalente à de uma altitude de 3.000 metros. Assim, respirar fica mais difícil. Na maioria dos passageiros isso não significa problema; no máximo, pode causar sensação de incômodo ou uma leve dor de cabeça em viagens mais longas. Mas, em pessoas com problemas respiratórios, como bronquite ou asma crônicas, pode desencadear uma crise. Como a redução de oxigênio atinge todos os tecidos do corpo, pessoas com problemas cardiovasculares ou algum distúrbio sanguíneo, como anemia, podem ser menos tolerantes.

Dicas: Se você tiver alguns dos problemas citados, não fique andando pelo avião; se sentir falta de ar, reduza o nível de atividade e de conversação.
 

Estômago e intestino

Durante o voo, o ar se expande em todas as cavidades do corpo. O estômago e o intestino são dois dos órgãos mais atingidos, onde pode haver flatulência.

Dica: Não consuma bebida com gás antes do embarque, pois as bolhas de gás comprimidas pela pressão atmosférica vão se expandir quando a pressão, no alto, diminuir.

Pele
A umidade relativa do ar é muito baixa na aeronave. Depois de seis horas de voo, pode chegar a 10% (a do Saara, na África, é em torno de 13%). Por isso é comum a pele ressecar e, em voos mais longos, algumas pessoas terem sangramento no nariz.

Hidratação: Já que o ar é muito seco, as cavidades respiratórias ficam ressecadas. Se o passageiro não ingerir bastante líquido durante o percurso, pode apresentar um princípio de desidratação, com sintomas como dor de cabeça, sonolência e irritação.

Dica: beba bastante água antes e durante o voo.

Membros inferiores
Em voos longos, a permanência na posição sentada causa acúmulo de líquidos nas pernas e nos pés, podendo causar inchaço nessas áreas. Na pior das hipóteses, pode ocorrer trombose venosa profunda (erroneamente chamada de síndrome da classe econômica, já que não é exclusividade da viagem de avião, mas de qualquer meio de transporte onde se passe muito tempo sentado). Nesse caso, formam-se coágulos nas veias profundas das pernas, e quando a pessoa se levanta, eles podem se desprender e caminhar pelo corpo, atingindo um órgão.

Mulheres que usam anticoncepcionais orais (eles interferem no processo de coagulação), quem já teve algum tipo de trombose e quem ficou muito tempo acamado e viaja em seguida, são as pessoas mais propensas ao problema.

Dica: movimente-se andando pelo avião, levante e abaixe a ponta dos pés para exercitar a batata da perna, use meias compressivas e evite roupas e sapatos apertados.

Jet leg
Ritmo do organismo: a mudança de fuso horário causa uma confusão no organismo, o chamado "jet leg". Sonolência, irritabilidade, fadiga leve e alteração no nível de concentração são algumas das consequências.

Dica: expor-se, o mais rápido possível, à variação luz/escuridão. Fique bastante no sol ao chegar. E mesmo que sinta sono durante o dia, aguente firme e durma só à noite, para o organismo se adaptar mais rapidamente ao novo ambiente.

Ouvido
Devido à variação da pressão atmosférica, principalmente na decolagem e na aterrissagem, é comum o ouvido ficar "entupido" ou ainda apresentar dores leves, já que ocorre uma pressão do ar sobre o tímpano. Crianças são as mais afetadas.

Dica: abra bem e feche a boca repetidamente durante o pouso e a decolagem; aos menores, dê a chupeta ou a mamadeira.

Evite refrigerantes!
Um copo de refrigerante antes do embarque pode representar aquele desconforto na barriga causado por gases durante a viagem de avião, já que as bolhas de gás se expandem no estômago quando o passageiro está a 10 mil metros de altura, porque a pressão atmosférica se reduz.

VIAGENS DE BARCO

Enjoo
Este meio de transporte é o que mais causa a chamada doença do movimento. Como os olhos e os ouvidos recebem muitos estímulos, o cérebro não consegue processar todas as informações e fica confuso, o que causa náuseas, vômito e dor de cabeça. Em casos mais sérios, pode durar dias, deixando a pessoa de cama.

Dicas: A borda do barco "chama" o enjoo. Assim, evite ficar nas beiradas da embarcação e fixe o olhar em um ponto específico ao longe, para diminuir a sensação de instabilidade. Sente-se na posição mais estável possível (no meio do barco) e recoste-se no banco com a coluna fixa, fechando os olhos. Evite comer muito antes da viagem.

Pele
Ela pode sofrer queimaduras pela exposição ao sol sem proteção adequada. A brisa marítima pode disfarçar a sensação de calor no corpo e isto pode agravar a queimadura.

Dica: passe protetor solar e use chapéu. E procure não ficar exposto ao sol por longos períodos.
 

OUTRAS DICAS

Comidas exóticas: aos poucos!
Conhecer novas culturas é também experimentar sua culinária. Mas vá com cautela, especialmente se você é uma pessoa mais sensível a temperos fortes. Quando experimenta a comida local, a pessoa entra em contato com micro organismos com os quais o seu corpo não está acostumado. Daí a sofrer o ‘Mal de Montesuma’ (diarreia típica de quem come a comida mexicana pela primeira vez) é um passo. E ficar na cama, vítima da temida e conhecida diarreia do viajante, ninguém merece. Experimente, mas aos poucos, certo?

Em locais muito diferentes, a pessoa deve ficar muito atenta ao que come e bebe. O melhor é consumir alimentos assados, cozidos ou aqueles que a própria pessoa descasca.

Água, cuidado com ela
A água é um problema sério, especialmente em países menos desenvolvidos. Por isso não peça bebida com gelo, pois pode ter sido produzido com água contaminada. Água, só mineral e aberta pelo próprio consumidor.

Dores no corpo
Ficar parado muito tempo pode causar dores em várias partes do corpo. As mais comuns são as dores lombares, acontecem em viagens mais longas porque as pessoas permanecem muito tempo na mesma posição, forçando a coluna.

Dica: a cada uma hora e meia, dê uma levantada e caminhe por cerca de 10 minutos, alongando um pouco o corpo. Faz a total diferença.


 

X