Família

14/05/2015 09h34

7 filmes sobre diversidade sexual para assistir em família

Liberte-se de tabus e preconceitos com o auxílio do cinema

Por Nosso Bem Estar

Divulgação
Hoje eu quero voltar sozinho 3 16650

Cena de "Hoje eu quero voltar sozinho"

Filmes e livros podem ser uma ótima opção para refletir e ajudar a desfazer preconceitos sobre diversidade sexual. Unidas em defesa dos direitos da população LGBTT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transgênero), o movimento Mães pela Igualdade sugeriu uma lista de filmes para assistir em família. Confira!

Leia também:
Cinco livros sobre diversidade sexual para ler em família
Elas abraçam o arco-íris da diversidade

(Se você tiver mais sugestões, envie para nós! Vamos ampliar esta lista junt@s! redacao@nossobemestar.com)


Hoje eu quero voltar sozinho
Leonardo (Ghilherme Lobo), um adolescente cego, tenta lidar com a mãe superprotetora ao mesmo tempo em que busca sua independência. Quando Gabriel (Fabio Audi) chega na cidade, novos sentimentos começam a surgir em Leonardo, fazendo com que ele descubra mais sobre si mesmo e sua sexualidade.

Tomboy
Laure (Zoé Héran) é uma garota de 10 anos, que vive com os pais e a irmã caçula, Jeanne (Malonn Lévana). A família se mudou há pouco tempo e, com isso, não conhece os vizinhos. Um dia Laure resolve ir na rua e conhece Lisa (Jeanne Disson), que a confunde com um menino. Laure, que usa cabelo curto e gosta de vestir roupas masculinas, aceita a confusão e lhe diz que seu nome é Mickaël. A partir de então ela leva uma vida dupla, já que seus pais não sabem de sua falsa identidade.
 

Minha vida em cor-de-rosa
O filme retrata o drama comovente de um menino que, desde muito cedo, apresenta fortes tendências homossexuais. O protagonista, Ludovic Fabre, cresce acreditando ser uma garota em um corpo masculino e pensa que um dia se tornará uma menina de verdade. Suas idéias e atitudes incomuns vão contra os valores e costumes de sua sociedade, fazendo com que ele e toda sua família sofram uma grande repressão.



Meninos não choram
Saiba como Teena Brandon se tornou Brandon Teena e passou a reivindicar uma nova identidade, masculina, numa cidade rural de Falls City, Nebraska. Brandon inicialmente consegue criar uma imagem masculinizada de si mesma, se apaixonando pela garota com quem sai, Lana, e se tornando amigo de John e Tom. Entretanto, quando a identidade sexual de Brandon vem público, a revelação ativa uma espiral crescente de violência na cidade.


Prayers for Bobby
Mary (Sigourney Weaver) é uma cristã devota que segue à risca as doutrinas da Igreja Presbiteriana. Quando seu filho Bobby (Ryan Kelley) revela ser homossexual, ela passa a submetê-lo a terapias e ritos religiosos com o intuito de “curá-lo”. No entanto, Bobby não suporta a pressão e se atira de uma ponte, encerrando sua vida, cometendo suicídio aos vinte anos de idade. Depois desse fato, Mary descobre um diário de Bobby e passa a entender de fato o que se passava na mente dele. Também buscando respostas na religião, Mary passa a interpretar de outra forma os textos bíblicos, passando a acreditar que a homossexualidade não é condenável, tornando-se uma ativista dos direitos dos homossexuais.

Eu preciso lhe dizer
Pessoas comuns depõe sobre sua homosexualidade e de seus filhos, colocando seus sentimentos e suas experiências para o es pectador afim de descobrir as origens do preconceito, e encontrar uma forma de como lidar com a intolerância na família e na so ciedade.


O segredo dos lírios
O amor de mães por suas filhas lésbicas em três casos de superação das expectativas conservadoras da sociedade.

X