Saúde Integral

13/05/2015 07h19

Terapia de Aceitação e Compromisso

Uma ótima opção para problemas de sobrepeso, fortemente relacionados com as emoções e os pensamentos

Por Breno Irigoyen de Freitas e Renata Klein Zancan

DollarPhotoClub/NBE
Sec abr dollarphotoclub 68164882

Apenas 10% da população mundial está biologicamente preparada para ter um corpo dentro dos padrões de beleza disseminados pela mídia

Na luta contra o sobrepeso, mais de 80% das pessoas que buscam dietas ou tratamentos retomam o peso inicial em até 5 anos. Apenas 10% da população mundial está biologicamente preparada para ter um corpo dentro dos padrões de beleza disseminados pela mídia. Isso leva a crer que esses padrões foram baseados na exceção. Crenças rígidas sobre a beleza estão associadas a transtornos alimentares, tais como, anorexia, bulimia e compulsão alimentar. Nas mulheres, esse padrão está mais ligado à magreza, enquanto nos homens está geralmente associado a um corpo musculoso. Em ambos os sexos, a beleza está associada a poder, controle, reconhecimento e ser amado.

A rigidez na forma de pensar também pode ter impacto na vida social. Muitas pessoas consideram que não é possível ser amadas ou conseguir um bom emprego se não estiverem dentro do padrão de beleza “ideal”. Outra consequência da preocupação rígida com a imagem corporal é o fato de evitarem situações nas quais possam se sentir julgadas, o que em alguns casos resulta em condutas como isolamento e abandono de atividades importantes para si.

Estar com sobrepeso muitas vezes é associado a estar em desvantagem frente a outras pessoas. Podemos encontrar diversos julgamentos relacionados à pessoa com peso elevado como, por exemplo, que ela é “preguiçosa”, “descuidada”, que é menos capaz que as outras.

A dificuldade de lidar com pensamentos e emoções pode ser um ponto-chave no comportamento alimentar e na manutenção dos transtornos associados a ele. Na cultura ocidental, os pensamentos e emoções desconfortáveis frequentemente são vistos como objetos a serem modificados, suprimidos ou consertados. Nesse contexto, o comer compulsivo e as dietas rígidas podem ser tentativas de suprimir pensamentos e emoções. Como acontece com pessoas que quando estão ansiosas, tristes ou cansadas, comem exageradamente mesmo não estão fisicamente com fome.

Diferentes tratamentos e abordagens tem sido oferecidos para o trabalho com o comportamento alimentar. Um deles é a Terapia de Aceitação e Compromisso (também chamada de ACT), cujo foco principal é a promoção da flexibilidade psicológica. Podemos compreender esta abordagem em três eixos:

1) Abertura
A Abertura diz respeito ao processo de aceitar as emoções e os pensamentos  percebidos, sem tentar modificá-los ou suprimi-los. Neste sentido, são utilizados exercícios que auxiliam a pessoa a flexibilizar sua atenção e, ao mesmo tempo, manter uma atitude de abertura à sua experiência, seja ela agradável ou desagradável. Entende-se que, por exemplo, um pensamento se torna prejudicial quando alguém permanece fixado nele, sem perceber outros elementos da sua experiência ou do ambiente. Assim, a forma como nos relacionamos com pensamento e emoções é mais importante do que o conteúdo em si. Por exemplo, uma pessoa que pensa “eu sou inadequada”pode se relacionar de diferentes maneiras com esse pensamento. Ela pode escolher brigar com ele, tentar encontrar uma razão que o desminta, refletir o porquê de esse pensamento existir, deixar de frequentar locais onde percebe esse pensamento e, inclusive, brincar com ele. A postura que a pessoa assume frente ao “eu sou inadequada” é um ponto crucial na diferenciação das abordagens terapêuticas. Enquanto algumas estão voltadas à busca de uma forma de pensar “correta” ou “saudável”, a ACT orienta-se pelo modo como a pessoa pode se direcionar a uma vida que lhe pareça mais significativa.

2) Centramento
No Centramento, o trabalho com o contato com o momento presente e a observação dos eventos internos (pensamentos, emoções, etc.) e externos, estão relacionados com o desenvolvimento de uma perspectiva observadora desses eventos, conectada com as transformações que ocorrem de momento a momento.

3) Engajamento
O Engajamento está baseado na construção de valores e de ações que sejam coerentes entre si. Valores podem ser compreendidos como direções de vida, que conectam a pessoa à percepção de estar em um caminho mais significativo, mais vital para si mesma. Já as ações são como extensões dos valores, como a pessoa escolhe e se direciona para uma vida mais significativa para si. É importante ressaltar que as ações estão conectadas ao contexto vivido e que, para serem consistentes com os valores, podem se transformar diversas vezes ao longo da vida.

Estes três eixos, não possuem um fim em si mesmos, estão conectados e resultam no processo chamado Flexibilidade Psicológica.

Então, quanto à questão da perda e manutenção de peso, a ACT propõe um caminho alternativo a partir da descoberta dos valores e do engajamento em “direções de vida” importantes para a pessoa. Um caminho que transcende a luta constante contra a balança e insere a possibilidade de uma vida baseada nos valores, aceitação da presença de obstáculos, fortalecimento do contato com o momento presente e escolha de comportamentos em prol de um caminho mais vital, mais significativo e mais importante para si.

Entendendo melhor :)

:: A ACT não trabalha exclusivamente focada na resolução de problemas/cura de sintomas, mas principalmente na forma como nos relacionamos com eles. Além disso, explora os valores do cliente e como ele pode criar uma vida mais significativa/valiosa para si.

:: Trabalha com foco nos processos de flexibilidade psicológica, que implica em estar aberto às experiências do momento presente, sem defesas, e conectado com seus valores. 

:: Não vê o pensamento necessariamente como causa de um comportamento, mas como mais um evento da experiência da pessoa, assim como as emoções, os sentimentos e as memórias. 

:: Compreende os “valores” como “direções de vida” que são utilizadas como critério para as escolhas do cliente.

 

 

Breno Irigoyen de Freitas e Renata Klein Zancan são psicólogos

X