Família

19/12/2014 11h27

Neste Natal, convide sua família para cirandar!

Danças circulares fortalecem laços de fraternidade e auxiliam na resolução de conflitos

Por Nosso Bem Estar

Prisma Circular
Captura de tela de 2014 12 19 11 27 00

Dê as mãos, olhe nos olhos e entre no ritmo do coração!

Dançar em roda é um dos costumes mais antigos da humanidade. No entanto, para grande parte de nós, esta prática ancestral se restringe apenas a um cantinho de lembranças que remontam às cirandas de infância. Se você faz parte deste grupo, que tal inovar e convidar sua família para uma dança de mãos dadas neste Natal? Além de divertidas, estas danças são excelentes para desenvolver laços de fraternidade.

“As danças de roda nos auxiliam a harmonizar os ritmos pessoais, mas também dos grupos”, destaca a gaúcha Natália Eilert Barella, que é facilitadora de  grupos de danças circulares sagradas e estudiosa do tema. De acordo com ela, as danças também são instrumentos importantes para a resolução de conflitos. "Só o fato de as pessoas se disporem de estar ali, de mãos dadas, em posição igual, e se olhando nos olhos, já traz muitos benefícios”, pontua.

A focalizadora Elsa Sanvicente costuma dizer que na roda as pessoas são como as contas de um colar. "Cada um é uma conta, mas juntos somos algo mais lindo que é o próprio colar. Na roda vivenciamos a unidade. Isso sem falar que a dança estimula a alegria, favorece o conhecimento de outras culturas e traz benefícios físicos tais como ritmo, coordenação e resistência aeróbica. Outra coisa que se trabalha é a percepção do espaço que se ocupa e o respeito pelo espaço do outro

A aceitação do erro também uma característica deste tipo de dança. Mesmo que alguns tenham dificuldades em acertar o passo, a união dos participantes acaba encontrando a sintonia coletiva. “No círculo, a gente aprende a lidar com as diferenças, a aceitar o outro como ele é. Alguns chegam na roda mais acelerados, outros mais lentos. Aos poucos, vamos sentindo a marcação do coração, que é o próprio pulsar do universo, e entramos juntos numa espécie de meditação em movimento”, explica Natália.

Assista a alguns vídeos e inspire-se para dançar com seus amigos e familiares neste Natal!

 

Assista a um documentário sobre o tema!

X