Planeta

16/12/2014 11h33

Algodão é tão fofinho! Só que não!

Cultura do algodão é das que mais consome agrotóxicos no mundo inteiro. Mas nem tudo está perdido: conheça o caso da Justa Trama, a maior rede de algodão agroecológico do Brasil!

Por Nanda Barreto

Jayjayoo7_com/IStock/BE
Istock 000006058670large

apenas 1% da fibra produzida no Brasil é livre de agrotóxicos.

O que existe por trás da roupa que você está vestindo agora? Se ela é feita de algodão, lamentamos informar, mas a história pode não ser tão bonita quanta a peça. Muita gente não sabe, mas a cultura do algodão é a que mais polui o meio ambiente e prejudica a saúde dos agricultores no mundo inteiro. Isso ocorre porque a quantidade de pesticidas utilizada neste cultivo é muito elevada.

O Brasil é um dos maiores produtores de algodão, com aproximadamente 1,3 milhão de hectares plantados. É difícil estimar a quantidade de defensivos utilizada nesta área, mas a lista de venenos permitidos é imensa. Inclusive, este ano, o governo brasileiro liberou o uso de agrotóxicos à base de brometo de metila, altamente nocivos à saúde. O veneno é utilizado no controle do bicudo-do-algodoeiro (Anthonomus grandis).

Consumo consciente
Com esta breve introdução já deu para perceber que o seu vestidinho e camiseta não são tão inofensivos quanto parecem, né? Se você quer deixar de contribuir para este cenário devastador, uma boa pedida é adquirir roupas que utilizem algodão orgânico. No entanto, como os riscos à colheita são elevados, a tentação de recorrer ao uso de pesticidas também é alta. O resultado disso é que apenas 1% da fibra produzida no Brasil é livre de agrotóxicos.

Os agrotóxicos são substâncias - ou misturas - destinadas a matar (ou impedir a ação de) insetos, moluscos, roedores, fungos, bactérias e outras formas de vida animal ou vegetal prejudiciais à agricultura. Quando o agrotóxico é utilizado, inevitavelmente ele contamina o solo. Logo, a chuva - ou o próprio sistema de irrigação da plantação- , facilita a chegada dos pesticidas aos lençóis freáticos e de rios e lagos.

Trama do bem
Com aproximadamente 10 anos de história, uma rede brasileira de algodão agroecológico tem mostrado que a união é o melhor caminho para quem aceita o desafio de produzir de maneira sustentável. Criada em 2005, a Justa Trama cobre todos os elos da indústria têxtil - do cultivo à venda do produto final. O empreendimento oferece vestidos, camisetas, saias, bermudas, calças e acessórios, tudo produzido com algodão 100% orgânico. A iniciativa envolve mais de 700 trabalhadores de quatro regiões do país.

O processo da cadeia produtiva tem início com o plantio no Ceará e no Mato Grosso do Sul. Em Minas Gerais, a fiação do algodão gera os tecidos que mais tarde irão transformar-se em artigos de moda pelas mãos de costureiras de Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Enquanto isso, mulheres e homens da região amazônica beneficiam sementes e corantes naturais, dando um toque especial no acabamento das peças.

A comercialização da Justa Trama é realizada principalmente em feiras. "Temos alguns pontos fixos de venda, mas as feiras são excelentes para dar visibilidade ao nosso trabalho, ampliar o nosso alcance e, principalmente, construir novas relações e parcerias", explica Nelsa Nespolo, uma das idealizadoras da Justa Trama.

Para quem ainda não teve a oportunidade de cruzar com a Justa Trama em alguma feira, a boa notícia é que o grupo também realiza vendas pela internet!

Acesse o site da Justa Trama!

Acompanhe a Justa Trama pelo Facebook!

 

X