Crescimento pessoal

21/11/2014 10h20

Chega de fiu-fiu!

Crowdfunding busca recursos para financiar documentário sobre assédio sexual sofrido pelas mulheres nas ruas

Por Nanda Barreto

Think Olga
61jf4iy

Se você é mulher, certamente já teve que mudar de calçada para evitar aquele grupo de homens que provavelmente fará um comentário sobre o seu corpo quando você passar. Mas você sabia que este comportamento, tão arraigado no nosso cotidiano, configura uma prática de assédio sexual?

Esta semana, um grupo de jornalistas e produtoras lançou um financiamento colaborativo para realizar um documentário sobre este assunto. Com o mote "Chega de fiu-fiu" elas pretendem sensibilizar a população sobre o assédio nos espaços públicos, além de abrir um canal de diálogo entre sociedade e poder público para facilitar o atendimento de mulheres vítimas de assédio.

"Queremos que o projeto seja uma ferramenta de educação e combate à violência contra a mulher, e o filme ficará disponível em nosso site para que todos possam acessar. A ideia é que ele circule também em escolas municipais e estaduais e nos órgãos públicos e de Justiça para que as novas gerações possam refletir sobre esse tema", destacam as idealizadoras.

Mapa do assédio
A iniciativa foi amplamente apoiada e em apenas um dia ultrapassou a meta inicial de R$ 20 mil. Agora, as ativistas buscam apoio para as etapas de finalização do filme. Além disso, é possível colaborar incluindo a sua experiência no mapa de assédio (http://chegadefiufiu.com.br/).

"O objetivo, porém, não é limitar ainda mais o território feminino ao indicar que locais são mais perigosos para elas circularem, mas justamente investigar porque eles são assim e o que pode ser feito para que se tornem mais seguros", destacam as realizadoras.

O assédio sexual é uma manifestação de cunho sensual ou sexual alheia à vontade da pessoa a quem se dirige. Quando realizada no ambiente de trabalho por uma pessoa de nível hierárquico superior, é crime. Em outros locais, a lei não possui dispositivos específicos de repressão. Isso não significa, porém, que o assédio sexual cometido nas ruas não acarrete danos físicos, psicológicos ou morais às vítimas.

E você, o que pensa a respeito do assédio no espaço público?




 

X