Beleza

28/10/2013 22h47

Cuidados com a beleza masculina estão em expansão

Homens assumem sua vaidade e passam a disputar cosméticos e espelhos

Por Nosso Bem Estar

DIEGO CERVO/ISTOCKPHOT/NBE
007 diego cervo istockphoto nbe

Um homem preocupar-se com a aparência e cuidar-se bem foi considerado, durante muito tempo, um sinal de “frescura” e pouca masculinidade. Às mulheres era permitido tudo: pintar cabelos, usar maquiagem e adereços – brincos, tiaras, prendedores de cabelo etc. Para eles, uma reles brilhantina e olhe lá. Mas os tempos mudaram, as mulheres ganharam as ruas e os postos de trabalho, e eles os salões de beleza e as casas de cosméticos. E tudo bem, todos – e todas – gostaram.

É claro que algum exagero acontece, depois de tantos anos de interdição. Daí a denominação já pejorativa de “metrossexual”. Este seria um heterossexual capaz de quase todos os sacrifícios típicos femininos em prol de uma pele lisinha, uma sobrancelha bem feita. Mas, “masculinidade pós-moderna” à parte, o que está acontecendo é que os homens estão assumindo sua vaidade e gostando de se cuidar melhor.

“Por que só as mulheres não ficam de cabelos brancos?”, constata com alguma revolta Antonio Carlos Vidal. “Eu também posso não querer ficar”. E confessa que depois que descobriu os xampus tonalizantes deixou o grisalho de lado. “É super natural, prático e esporádico”. Ele vai continuar usando, apesar do preço ser quase 4 vezes maior que as tinturas femininas.

Os brincos, antes exclusivamente femininos, passaram a adornar orelhas masculinas. Lenços nos cabelos, gargantilhas, tiaras e rabos de cavalo “fazem a cabeça” dos agora chamados “descolados”. A liberação, que começou com o movimento hippie, hoje freqüenta os escritórios e campos de futebol. Para a indústria, o campo é vasto e cresce sem parar.

Com todo esse potencial, a indústria começou a prestar atenção nas vontades estéticas deles. E descobriu que o interesse dos homens em produtos de beleza tem algumas características bem específicas.  Diferentemente das mulheres, que compram cremes para cada região do corpo, com ações diferentes, os homens preferem produtos mais práticos, que, de preferência, reúnam várias funções.

Além disso, gostam de embalagens específicas, rejeitando as unissex. “O homem é mais preguiçoso, por isso pede um único produto para várias finalidades. Além disso, o cosmético deve ser personalizado, com um apelo visual próprio para o público masculino”, comenta Alberto Keidi Kurebayashi, diretor da Associação Brasileira de Cosmetologia e coordenador científico do Congresso Brasileiro de Cosmetologia.

No Brasil, as marcas ainda investem muito em produtos pós-barba, mas já começam a oferecer diferenciais, como hidratação, tratamento anti-envelhecimento, xampus, gel para cabelo e sabonetes multifuncionais. Até esmaltes masculinos já podem ser encontrados no mercado nacional. Praticamente todas as marcas de cosméticos tradicionais adicionaram linhas de produtos masculinos em sua produção.

Existem agora até aquelas especializadas em produtos para homens, como a americana Studio 5ive, que produz cosméticos exclusivamente para o público masculino, inclusive uma linha completa de maquiagem. A fila para o espelho vai aumentar. Afinal, viver, cuidar e apresentar-se bem é um direito de todos.

 

Fonte: Jornal Bem Estar

X