Beleza

28/10/2013 10h25

Salto alto: conheça os prós e contras

Importante aliado para a beleza feminina pode causar problemas ortopédicos e de pele

Por Nosso Bem Estar

EMILIAN ROBERT VICOL/FLICKR/DIVULGAÇÃO/NBE
004 emilian robert vicol flickr nbe

Para a grande maioria das mulheres, o salto alto é um aliado fundamental para realçar sua beleza: aumenta a estatura, realça o bumbum, coloca o peito para frente deixando a mulher mais bonita e imponente. Até aí tudo bem, pois ele realmente dá uma elegância extra à mulher. O problema é quando ele é usado excessivamente, seu salto é alto de mais ou tem o bico muito fino. 

Segundo a Sociedade Americana de Ortopedia, cerca de três bilhões de dólares são gastos anualmente em cirurgias nos pés nos Estados Unidos por conta do salto alto. Infelizmente, quanto maiores eles são, mais dores e problemas ortopédicos causam. Quando usado por um longo período, saltos que tenham mais que quatro centímetros de altura podem causar danos à coluna e aos joelhos, encurtamento dos músculos da panturrilha e desvios nos pés. 

Independente do tamanho e do formato, ele muda a maneira como a pessoa pisa no chão e se equilibra (quanto maior o salto, menor a superfície de apoio), o que faz com que o peso se concentre nos dedos, especialmente se os sapatos tiverem o bico fino, O que reduz a área de apoio dos pés.

É importante lembrar que quando a pessoa anda de salto, joga todo o peso do corpo para a parte da frente do pé, e isso causa desde pequenas fraturas por estresse até traumas por repetição nos pequenos ossos dos pés, além de incha mento do nervo que fica no meio dos ossos. Acrescente-se calos, bolhas, inchaço e até fissuras podem aparecer por causa do excesso de uso de saltos altos.

Muitos especialistas na área de ortopedia e fisioterapia ressaltam outro tipo comum de problemas causados pelo uso excessivo de saltos super altos: desvios na coluna. Isto porque para conseguir equilíbrio em cima de um salto muito alto, o corpo busca compensações que podem levar a hiper lordoses e hiper cifoses”, que sãos desvios frontais e laterais da coluna vertebral.

Outros males relatados pelos especialistas são o encurtamento muscular, que leva a uma alteração postural, deformidades ósseas e problemas vasculares. Ficar muito tempo em pé de salto deixa a panturrilha em constante contração, fazendo com que o sangue não seja totalmente bombeado para todos os lugares da perna.

Muitas vezes a readaptação aos sapatos normais não é tão fácil. Por isso que existem pessoas que usam salto alto constantemente e quando colocam sapatos de salto baixo ou tênis ficam desconfortáveis na panturrilha e nos pés, que estão encurtados, “adaptados” ao salto alto.

Outro problema são as dores no arco anterior dos pés, local onde o pé fica apoiado nos famosos joanetes, causados pelo desvio dos dedos e por compressão. Uma solução paliativa é o uso de solados tipo plataforma porque ajudam a man ter o equilíbrio mais facilmente, por terem uma área de apoio muito maior. Fuja, ou reserve para ocasiões muito especiais, os sapatos de salto fino ou agulha, que são pouco estáveis, facilitam torções e os problemas citados anteriormente.

Nem só o salto alto pode provocar problemas nos pés. Calçados fechados de borracha e outros materiais sintéticos, como o tênis, facilitam o aparecimento de micoses. Caso isso aconteça, além do tratamento dos pés (lembre-se que enxugar bem os pés previne as micoses e o mau cheiro), o sapato ou tênis deve ser lavado e arejado e não deve ser usado por dois dias seguidos. É preciso deixá-lo fora do armário, se possível no sol, para que os germes e bactérias desapareçam.

Modelos com bico fino facilitam o aparecimento de unhas encravadas, pois deformam o seu crescimento natural. Para evitar o problema é preciso cortar a unha de modo a deixá-la quadrada e sem pontas. Para evitar este problema, os mais recomendados são os sapatos com saltos e bicos quadrados ou redondos, por serem mais estáveis e confortáveis.

 

Fonte: Jornal Bem Estar

X