Crescimento pessoal

24/04/2014 17h24

Terapias que vão além dos benefícios físicos

Saiba como a massagem, o ayurveda e o reiki favorecem o seu equilíbrio

Por Nicole Cavallin, estudante de jornalismo

VKPH/ ISTOCKPHOTO/ NBE
102 vkph istockphoto nbe

Massagem ayurvédica alivia dores e traz bem-estar

Os dias não cabem no relógio e muitas vezes todas as atividades não cabem dentro das 24 horas diárias. Com a falta de um tempo dedicado a si somam-se as preocupações profissionais, pessoais e quem acaba sofrendo é o corpo físico. A massoterapia e o ayurveda são terapias que combatem as dores físicas, mas não somente elas. Auxiliadas pelo reiki ou mesmo sozinhas também proporcionam mais estabilidade emocional e espiritual.

Além de funcionar sobre o sistema circulatório, linfático, nervoso, muscular, digestivo e respiratório, a massoterapia também atua nas emoções e na mente. Resulta em relaxamento e maior consciência corporal, permitindo que corpo e mente estejam em harmonia.

As dores físicas estão relacionadas com o campo emocional. Os sentimentos afetam o estado mental e se refletem no corpo.

Para a massoterapeuta e reikiana Adriana Spier, não há cura física eficaz se não houver cura mental e espiritual. Segundo ela, a massagem age nesses três planos. “Ela resgata o bem estar e ao mesmo tempo traz alívio das dores. À medida que uma consciência corporal é adquirida, é possível perceber o que está te fazendo mal e aos poucos libertar-se dos sentimentos que causam a dor. A massagem é desintoxicante em todos os sentidos”, acrescenta ela.

Canais abertos

A comerciante Maria Haideê Zorzan Masotti conta que a massagem abriu seu caminho para o autoconhecimento. “Os toques e as sensações me abriram canais para saber o porquê de eu estar com aquela dor, naquele momento. É como se minha visão estivesse embaçada e fazendo essas terapias eu limpasse meus óculos internos”, relata. 

“Não há uma cura completa se não pararmos e olharmos para dentro de nós. Tentar descobrir qual a raiz do problema. De onde vem a dor que estamos sentindo? O que estamos fazendo ou deixando de fazer para esta dor estar aqui e agora? Que pensamentos eu tenho que mudar? É muito importante que haja um entendimento e conhecimento de nós mesmos”, destaca ainda a massoterapeuta.

A palavra masso em grego significa amassar e therapeia, quer dizer terapia, tratamento. A prática é realizada no oriente há mais de cinco mil anos e tem por definição o ato de massagear o corpo com fins terapêuticos e pode englobar diversas técnicas corporais como shiatsu, shantala, ayurvédica, quiropraxia, yoga, reiki, entre outras.

Massagem medicinal

Assim como a massoterapia, a medicina ayurveda também é milenar e existe há mais de sete mil anos. É originária da Índia, e no Brasil costuma ser aplicada através de massagens com movimentos longilíneos, que aliviam o stress, trazem relaxamento, acalmam, dão a sensação de bem estar e equilíbrio, favorecendo a saúde física.

Abhyanga é nome dado ao tipo de massagem que tem como método a utilização de óleos quentes produzidos com plantas medicinais para desintoxicação do corpo. O óleo de gergelim, por exemplo, vale para os três biotipos: o vata, o pitta e o kapha. A ação inicia na pele, depois passa pela musculatura, tendões, articulação e por fim nos ossos, nutrindo e acalmando todo sistema nervoso, movimentando a linfa, e o sistema circulatório.

Conhecimento e vida

Ayur é vida e veda é conhecimento. De acordo com o conceito dessa medicina, as doenças se densificam no corpo quando um dos cinco elementos: éter, ar, fogo, água ou terra estão em desarmonia, ou seja, quando o padrão mental e/ou emocional está em desequilíbrio.

“Tive mudanças e superações. Passei a ver a vida e o mundo de uma forma mais tranqüila. Aprendi a superar meus problemas e a conseguir manter o equilíbrio, que é uma das coisas mais importantes”, conta a professora, Leomar Gallas sobre sua experiência com a massagem ayurvédica, que há três anos faz parte de sua rotina. 

Conforme a terapeuta ayurvédica e instrutora de yoga Cristiani Cristofoli, a primeira coisa que desequilibra as pessoas é o pensar demais. E a medicina ocidental oferece somente a cura do corpo. “É como a pessoa que tem câncer, que se cura e depois a doença reaparece em outro local. É porque não houve cura completa. Por isso é preciso o trabalho no campo emocional e espiritual. É necessária uma ligação entre corpo, mente e espírito”, esclarece.

O reiki como terapia complementar

A terapia reiki por si só é uma alternativa de cura natural e sutil reconhecida pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Consiste no recebimento da energia vital universal através da imposição das mãos sobre os sete chacras, que são as pontes de conexão entre o divino e o terreno, e no corpo físico estão relacionadas com as glândulas endócrinas.

O reiki atinge diretamente o campo áurico chegando na origem dos problemas, nas emoções, limpando o foco e fazendo com que o benefício também seja visível na parte física. Ao receber a prática as principais sensações relatadas são de extremo bem estar, conforto e poder, como afirma a comerciante, Marilei Cristofoli, “Além de relaxada, me sinto motivada, animada e confiante no direcionamento de minhas perspectivas.”

Segundo a mestre reiki, terapeuta holística e psicoterapeuta reencarnacionista Elyane Hauser, o reiki é uma terapia que complementa todas as outras técnicas terapêuticas. “Pode completar uma massagem, um tratamento alopático, psicológico, proporcionando o entendimento para o paciente e potencializando o tratamento tanto interno quanto externo”, afirma.

Ela lembra ainda que nas terapias holísticas o ser é visto como um todo, e com um olhar completo desse ser é que se chega numa compreensão do que está acontecendo com ele. Entretanto, sem mudanças não há cura. “O trabalho terapêutico busca essencialmente o entendimento da pessoa que está sendo tratada, de que todo o trabalho será feito por ela e não pelo terapeuta. O reiki faz parte de um trabalho de abertura consciencial, mas também é necessária uma mudança comportamental” explica.

X