Bem-estar

22/04/2014 17h21

Pé na estrada: eles tiveram a coragem e foram!

Todo mundo gosta de viajar, mas alguns tem um ímpeto, digamos... um pouco maior : )

Por Neda Camiza, estudante de jornalismo

CATARINA PALMA/ ARQUIVO PESSOAL/ NBE
Foto 1

Catarina Palma e Hugo Portela em viagem pela América do Sul

Pedir as contas, viajar e cair no mundo. Foi assim que Catarina Palma e Hugo Portela, ambos de Portugal, após se conhecerem e encontrarem em comum a vontade de viajar pela América do Sul, criaram o projeto Coração Nómada. O projeto se iniciou no ano de 2012 e tem como destino passar pelos treze países do continente sul-americano: Brasil, Paraguai, Uruguai, Argentina, Chile, Bolívia, Peru, Equador, Colômbia, Venezuela, Guiana, Suriname e Guiana Francesa. 

Na internet, foi criado um blog e uma página no Facebook, onde o casal divide os relatos das  viagens. O nome surgiu a partir de uma conversa entre Palma e sua amiga, Mara Santos, que  tem um projeto chamado Coração Luso, onde o objetivo é divulgar histórias de portugueses no mundo, procurando inspirar as pessoas a seguirem os seus sonhos. "O nosso objetivo, nesse sentido, é comum, pois a ideia base do Coração Nómada foi a de dar a conhecer a nossa história e com isso inspirar outros a nunca desistirem daquilo em que acreditam. Sonhar é atrair o que queremos para a nossa vida", afirma Catarina.

A vontade de viajar foi algo sempre presente na vida de Catarina Palma: "Sempre gostei de viajar, tal como o Hugo. Não foi algo que tenha surgido, mas sim algo que é inato em nós, é expandir horizontes, é tornar-se mais completo e consciente". O que mais a chama a atenção nos diferentes lugares visitados é a diversidade cultural. Principalmente: "Perceber como somos todos tão diferentes e, no fundo, todos iguais". 

Um dos lugares em que visitaram e que mais gostaram, foi o Ushuaia, na Terra do Fogo, na Argentina. Lá, de acordo com Palma, a natureza é envolvente e carregada de uma magia inigualável. E também Bonito, cidade de Mato Grosso do Sul, onde a natureza pulsa de uma forma impressionante.

A dupla retornou a Portugal no início desse ano, mas pretende revisitar alguns países: “Queremos voltar à Ásia, Índia, Tailândia, Bali, Indonésia, Sri Lanka, conhecer a América Central, Panamá, México, Guatemala e Nicarágua. E conhecer melhor a Europa, também! No fundo, todo o mundo está nos nossos planos!"

Vida livre

Essa mesma vida de nômade fazem de Seco um viajante: “Eu sou maluco”, diz ele em referência aos malucos de estrada - movimento alternativo de vida, onde o indivíduo vive de seu artesanato e viaja de modo livre. Já conheceu a China, Índia, Colômbia, Senegal e Inglaterra, muitas delas em navios clandestinos. Na Inglaterra, foi onde fez as tatuagens no rosto e o visitou o bar “Carvern Club”, localizado em Liverpool, conhecido por ser o local onde os The Bealtes faziam suas apresentações musicais.

Foto: Neda Camiza/ NBE

O andarilho esteve recentemente em Porto Alegre, onde expôs um pouco da sua arte como pulseiras e colares na Praça da Alfândega. Foi tatuador por um tempo, mas, como conta, jogou as máquinas de tatuar fora na praia de Santa Catarina e voltou para a estrada.

Os pais de Seco foram hippies e, exatamente por isso, ele esteve sempre viajando. Seco critica a atitude da população, que às vezes pede para fotografá-lo. Segundo ele, como se fosse alguma estátua. Quando perguntado sobre seu próximo destino, mostra a tatuagem no braço direito, onde está escrito: “Só Deus sabe”.

X