Crescimento pessoal

15/04/2020 08h00

Reflexões do Agora

As reflexões de alguns grandes pensadores nos ajudam a entender um pouco mais o atual momento da humanidade e suas perspectivas futuras.

Por Nosso Bem Estar

Pixabay
Design sem nome(1)(1)

Reflexões do Agora

"Como as guerras se iniciam nas mentes dos homens, é nas mentes dos homens que as defesas da paz devem ser construídas." (Preâmbulo da Constituição da UNESCO, 1945)

 

 

 

 

 

 

IMPORTÂNCIA À VIDA

"Após cada grande crise, a ordem econômica global sempre se reacomoda. Depois de 2008, a economia global aprendeu pouco e continuou destroçando a economia real. A partir de agora, o interessante é saber se o consenso surgido na contingência perdurará no tempo: mais e melhor saúde pública, mais Estado, mais política fiscal expansiva, quando surgem as dificuldades, mais economia real e, sobretudo, dar muito mais importância aos assuntos verdadeiramente imprescindíveis para a vida humana.

Faz sentido que o capitalismo global tenha produzido mais de 1,5 bilhão de smartphones em um ano e tão poucos respiradores assistidos em caso de pandemia? Não.

Alfredo Serrano Mancilla – economista espanhol, executivo do Centro Estratégico Latino-Americano de Geopolítica – CELAG, em artigo publicado por Público, em 18/03/2020.

 

SAÙDE GLOBAL

"Existem centenas de milhões de pessoas em todo o mundo que carecem de serviços de saúde básicos. Isso coloca em perigo todos nós. Estamos acostumados a pensar em saúde em termos nacionais, mas fornecer melhores cuidados de saúde para iranianos e chineses ajuda a proteger israelenses e americanos também de epidemias. Essa verdade simples deve ser óbvia para todos, mas infelizmente ela escapa até mesmo às pessoas mais importantes do mundo. (...)  Hoje a humanidade enfrenta uma crise aguda, não apenas devido ao coronavírus, mas também devido à falta de confiança entre os seres humanos. Para derrotar uma epidemia, as pessoas precisam confiar em especialistas científicos, os cidadãos precisam confiar nas autoridades públicas e os países precisam confiar uns nos outros. Nos últimos anos, políticos irresponsáveis ​​minaram deliberadamente a confiança na ciência, nas autoridades públicas e na cooperação internacional. Como resultado, agora estamos enfrentando esta crise desprovida de líderes globais que podem inspirar, organizar e financiar uma resposta global coordenada."

Yuval Harari - filósofo israelense,  autor dos best-sellers Sapiens e Homo Deus – Uma breve história do amanhã em artigo publicado na revista Time em 15/03/2020.

 

ELASTICIDADE E FRAGILIDADE

" Em cada época histórica, os modos dominantes de viver (trabalho, consumo, lazer, convivência) e de antecipar ou adiar a morte são relativamente rígidos e parecem decorrer de regras escritas na pedra da natureza humana. É verdade que eles se vão alterando paulatinamente, mas as mudanças passam quase sempre despercebidas. A irrupção de uma pandemia não se compagina com tal tipo de mudanças. Exige mudanças drásticas. E, de repente, elas tornam-se possíveis como se sempre o tivessem sido. Torna-se possível ficar em casa e voltar a ter tempo para ler um livro e passar mais tempo com os filhos, consumir menos, dispensar o vício de passar o tempo nos centros comerciais, olhando para o que está à venda e esquecendo tudo o que se quer mas só se pode obter por outros meios que não a compra. A ideia conservadora de que não há alternativa ao modo de vida imposto pelo hipercapitalismo em que vivemos cai por terra. Mostra-se que só não há alternativas porque o sistema político democrático foi levado a deixar de discutir as alternativas. Como foram expulsas do sistema político, as alternativas irão entrar cada vez mais frequentemente na vida dos cidadãos pela porta dos fundos das crises pandêmicas, dos desastres ambientais e dos colapsos financeiros. Ou seja, as alternativas voltarão da pior maneira possível.

 Boaventura de Sousa Santos – sociólogo português, diretor emérito do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra, em artigo publicado por Outras Palavras em 18/03/2020.

 

FORA DAS LEIS DE MERCADO

"Caros compatriotas, precisamos amanhã tirar lições do momento que atravessamos, questionar o modelo de desenvolvimento que nosso mundo escolheu há décadas e que mostra suas falhas à luz do dia, questionar as fraquezas de nossas democracias. O que revela esta pandemia é que a saúde gratuita sem condições de renda, de história pessoal ou profissão, e nosso Estado-de Bem-Estar social (État-providence) não são custos ou encargos mas bens preciosos, vantagens indispensáveis quando o destino bate à porta. O que esta pandemia revela é que existem bens e serviços que devem ficar fora das leis do mercado. Delegar a outros nossa alimentação, nossa proteção, nossa capacidade de cuidar de nosso modelo de vida é uma loucura. Devemos retomar o controle, construir mais do que já fazemos, uma França, uma Europa soberana que controlem firmemente seu destino nas mãos. As próximas semanas e os próximos meses necessitarão de decisões de ruptura neste sentido. Eu as assumirei."

Emmanuel Macron – presidente francês, em pronunciamento à nação no dia 12/03/2020.

 

INTERDEPENDÊNCIA

"Essa pandemia produziu o colapso do mercado de valores (bolsas), o coração deste sistema especulativo, individualista e antivida como o chama o Papa Francisco. Este sistema viola a lei mais universal do cosmos, da natureza e do ser humano: a interdependência de todos com todos; que não existe nenhum ser, muito menos nós humanos, como uma ilha desconectada de tudo o mais. Mais ainda: não reconhece que somos parte da natureza e que a Terra não nos pertence para explorá-la ao nosso bel-prazer, mas que nós pertencemos à Terra. Na visão dos melhores cosmólogos e dos astronautas que veem a unidade Terra e Humanidade, somos aquela porção da Terra que sente, pensa, ama, cuida e venera. Superexplorando a natureza e a Terra como se está fazendo no mundo inteiro, estamos nos prejudicando a nós mesmos e nos expondo às reações e até aos castigos que ela nos impõe. É mãe generosa, mas pode mostrar-se rebelada e enviar-nos um vírus devastador.

Sustento a tese de que esta pandemia não pode ser combatida apenas por meios econômicos e sanitários sempre indispensáveis. Ela demanda outra relação para com a natureza e a Terra. Se após passar a crise e não fizermos as mudanças necessárias, na próxima vez, poderá ser a última, pois nos fazemos os inimigos figadais da Terra. Ela pode não nos querer mais aqui."

Leonardo Boff – teólogoe filósofo brasileiro em artigo publicado em seu site em 18/03/2020.

 

EMERGÊNCIAS ENRAIZADAS

"A emergência de saúde com a qual o coronavírus está nos confrontando está ligada à emergência de extinção e desaparecimento de espécies, e está ligada à emergência climática. Todas as emergências estão enraizadas em uma visão de mundo mecanicista, militarista e antropocêntrica dos seres humanos como espécie separada e superior a outros seres que podemos possuir, manipular e controlar. Também está enraizado em um modelo econômico baseado na ilusão de crescimento ilimitado e ganância ilimitada que viola sistematicamente as fronteiras planetárias e a integridade dos ecossistemas e espécies.

Vandana Shiva – física e ativista ambiental indiana, em artigo publicado no blog navdanya.org em 18/03/2020

 

 

 

 

 

X