Saúde Integral

12/07/2018 09h30

Pipoca: um alimento super saudável

Ela parece muito simples, mas na realidade é super rica em nutrientes que trazem muitos benefícios para a saúde.

Por Nosso Bem Estar

Pxhere | Pixabay
Saco de pipoca 122016 1400x800

Seja em festas, cinema, em casa ou na escola, a pipoca é super versátil e consegue ser encaixada em todo o tipo de situação.

Derivada do milho, a pipoca é o resultado de uma reação interessante: a transformação da água dentro do milho em vapor, que faz com que ela estoure e transforme-se no que conhecemos: o floquinho branco.

Seja em festas, cinema, em casa ou na escola, a pipoca é super versátil e consegue ser encaixada em todo o tipo de situação. Além de ser simples e gostosa, é possível modificá-la e temperá-la em vários sabores diferentes para sair da mesmice.

Seja doce ou salgada, a pipoca não deixa de ser uma opção super saudável pela variedade de seus benefícios e vantagens como coringa em todo o tipo de lanche. Vamos conhecer um pouquinho sobre ela?

 

Quais os benefícios?

A pipoca é muito rica em fibras, polifenóis (antioxidantes) e, por ser derivada do milho, também possui todos as propriedades dele, principalmente seus aspectos nutricionais. Assim sendo, ela também é rica em vitaminas do complexo B, manganês, ácido fólico e magnésio, propiciando também os seguintes benefícios:

  • Auxilia no processo de emagrecimento: sim. Além de rica em fibras, a pipoca tem poucas calorias, o que a transforma num lanche perfeito e indispensável no cardápio de quem pensa em perder peso.
  • Previne o envelhecimento precoce: por via de regra, é fundamental que antioxidantes sejam consumidos para evitar não só o envelhecimento precoce, como todos os outros problemas que passam a aparecer com a presença de radicais livres. Felizmente, a pipoca é muito rica nesse nutriente e mostra eficiência no combate ao envelhecimento e cuidados com os cabelos.
  • Ajuda no combate às doenças cardíacas: sua riqueza em antioxidantes naturais é tão grande que a pipoca passa a ser um importante aliado na prevenção e no combate aos problemas cardíacos, também influenciados pela presença dos radicais livres.
  • Ajuda a prevenir o câncer: o câncer, resultado de uma desordem inusitada de proliferação das células, também pode ser prevenido a partir do consumo da pipoca. Os polifenóis são substâncias muito conhecidas por fornecerem mais energia e protegerem as células.
  • Melhora o sistema digestivo: por ser rica em fibras, sais e minerais, parte do papel da pipoca é estimular a movimentação dos músculos intestinais e induzir a secreção de sucos digestivos, para melhorar a digestão e manter o sistema funcionando bem e saudável.
  • Auxilia no controle da diabetes: com a grande ingestão de fibras que a pipoca proporciona, é possível regular os níveis de açúcar no sangue e estimular a produção de insulina.
  • Fonte de energia e prevenção a doenças: a pipoca possui em sua composição tiamina, niacina e vitamina B6, essenciais para converter os alimentos em energia para o nosso organismo. Além disso, quando essas três substâncias agem no organismo, elas fortalecem o sistema imunológico e previnem problemas de insônia, artrite, artrose, osteoporose e tantas outras doenças, podendo também ameniza-las em sua presença.

Mas, não se engane ou se desaponte: os benefícios estão no milho como um todo. Você também precisa engolir aquela casca que teima em ficar presa nos dentes.

 

Qualquer pipoca serve?

De modo geral, toda a pipoca vai apresentar a mesma quantidade de benefícios, independentemente do tipo, origem ou embalagem. Por se tratarem de uma espécie de milho desidratado, todas as propriedades estão fortemente conservadas.

A única coisa que deve ser levada em consideração aqui, são as pipocas de micro-ondas. Elas precisam de atenção em relação à quantidade diária de sódio e calorias que podem variar na modificação do produto para resistir às prateleiras.

Por isso, não é incomum que uma pipoca de micro-ondas seja mais salgada que a outra, tenha mais gordura, seja muito calórica ou tenha uma quantidade de sódio absurda. É muito importante ler com cuidado o rótulo das informações nutricionais.

 

Como eu faço pipoca?

Existem várias formas de fazer pipoca, sendo a mais tradicional a salgada. O conceito básico é o mesmo: para cada punhado de milho, uma colher de sopa de gordura ou água para estimular a reação interna do milho, para que ele estoure.

Com o passar do tempo, outros aditivos acabaram sendo adicionados à pipoca, como temperos – tradicionalmente cebolinha e salsa – e caramelo, que são adicionados logo depois que estouram.

Não existem limites para a saborização da pipoca. Isso é muito pessoal e, por ser coringa, ela sequer sofre muitas modificações a partir da incrementação do adicional.

Vai tentar uma receita legal? Conta pra gente!

X