Planeta

24/05/2018 09h30

Aproveitamento de Águas Pluviais

O aproveitamento de águas da chuva, embora antigo, continua atual, mas agora por demandas urbanas como inundações e escassez de água.

Por Nosso Bem Estar

Pxhere
Water drops originality blue drop water resources 1418318 pxhere.com

No Brasil, a prática do aproveitamento de águas da chuva remonte aos primeiros assentamentos na época do descobrimento.

O aproveitamento de águas de chuva ou de degelo é uma prática antiga e o reservatório destinado a armazená-las é denominado cisterna. No Brasil, a prática do aproveitamento de águas da chuva remonte aos primeiros assentamentos na época do descobrimento. Depois essa técnica foi amplamente utilizada para minimizar a falta de água no semiárido do Nordeste.

No entanto, a atual conjuntura renova a oportunidade dessa medida sob o respaldo da sustentabilidade e também como solução aos problemas urbanos. Um crescente número de grandes cidades e regiões metropolitanas brasileiras vive situação de escassez e degradação dos recursos hídricos impondo a adoção de programas de conservação de água. Além da escassez de água, fatores relacionados às mudanças climáticas, como precipitações de chuvas em grandes volumes, e a diminuição da capacidade de absorção do solo, provocam inundações repentinas nos centros urbanos e, também exigem soluções.

Assim, o aproveitamento racional das águas da chuva é uma necessidade crescente nas construções urbanas e atende questões de ordem ambiental e social.

O aproveitamento de águas da chuva precipitada nas edificações do meio urbano se enquadra na categoria de usos menos exigentes ou menos nobres, isto é, que não exigem água potável. Ou seja, para uso doméstico, como descarga de bacias sanitárias e mictórios, limpeza de pisos e paredes, lavagem de veículos, rega de jardins e como água de reserva para combate a incêndio.

A aplicação de sistemas de aproveitamento de água pluvial deve passar por avaliação econômico-financeira. Embora o retorno financeiro não seja imediato (acontece a médio e longo prazo), os retornos em qualidade de vida e cuidados com a sustentabilidade são garantidos.

 

BENEFÍCIOS:

a) Diminui a demanda de água potável, colaborando com a manutenção dos recursos hídricos;

b) Diminui o pico de inundações quando aplicada em larga escala, de forma planejada, em uma bacia hidrográfica;

c) Pode reduzir as despesas com água potável.

 

Embora nosso planeta seja coberto por dois terços de água, apenas 3% dela é doce e desse percentual, menos de 1% está disponível, pois cerca de 2,09% está congelada nas calotas polares. Assim o cuidado com a água equivale ao cuidado com a vida.

X