Notícia

18/11/2017 22h01

Um Bom Recomeço

O aguardado Liga da Justiça chega dando um novo tom aos heróis da DC.

Por Max Bof

Divulgação
Ligadajustica

Mais acertos do que erros

Após a morte do Superman (Henry Cavill), a criminalidade e a violência avançam, a humanidade está mais perdida e sem esperança com a ausência do inspirador herói que a protegia. Mas um perigo muito maior, interestelar, é o mote para a reunião da Liga da Justiça, coordenada por Batman/Bruce Wayne (Ben Affleck) e Mulher Maravilha/Diana Prince (Gal Gadot). Eles recrutam  o Aquaman (Jason Momoa), o Cyborg (Ray Fisher) e o The Flash (Ezra Miller) para salvar o planeta de um avassalador ataque que está por vir.

O filme acerta em várias frentes:  tem muita ação, tem mais humor e leveza que os anteriores, mas sem perder a reflexão e o tom mais grave e sério que o diferencia das aventuras juvenis e muitas vezes bobocas de alguns filmes incensados da Marvel; além de uma ótima química entre os atores. A Mulher Maravilha confirma o que se viu em seu filme solo e ilumina a tela cada vez em que aparece. O Batman mais cansado e humanizado do que nunca também funciona bem e os novatos da equipe tem o tom adequado a proposta. A cereja do bolo é a volta do Super Homem, que ressurge muito potente, com uma aura mais magnífica ainda da grande inspiração para a humanidade.

O vilão deixa um tanto a desejar, é mais uma das eternas caricaturas do monstro que quer dominar ou destruir o mundo - na verdade 90% dos vilões de todos os filmes  baseados em quadrinhos dificilmente escapam desta sina,pra dizer a verdade.

Liga da Justiça parece sinalizar o caminho de equilíbrio que a DC pretende seguir de agora em diante, descartando os equívocos de filmes anteriores e ficando com os acertos de Mulher Maravilha em diante. Vamos ver se consegue.

X