Saúde Integral

27/06/2017 06h30

O metabolismo celular e o magnésio

Ele não só é importante para as plantas, como é essencial para a vida do ser humano

Por Edson Luís Severo

Depositphotos
M11

Magnésio essencial para a vida

            No centro da molécula de clorofila, pigmento verde presente nas plantas, o magnésio se faz essencial, capturando a luz solar e a transformando em energia, pela fotossíntese. No entanto, não é na parte verde das plantas que se encontra a maior concentração do mineral, pois na fabricação da clorofila, o total de magnésio existente na planta é de apenas 1 a 5%, ficando a sua maior distribuição nos frutos e nas sementes. Contudo, é o magnésio que vai transformar a luz em alimento e combinado ao fósforo formam complexos de alta energia interferindo na síntese dos açúcares, das gorduras e das proteínas. Se as plantas não tiverem magnésio, elas não serão capazes de nutrir-se através dos raios solares, e por consequência, definharão, perderão a força e morrerão.

            O magnésio é um mineral distribuído em vários compartimentos corporais, e assim como ele é importante para as plantas, ele é essencial para a vida do ser humano, controlando 18 minerais, intervindo ativamente em mais de 300 funções metabólicas e participando de vários processos químicos, sendo cofator de diversas ações biológicas.

            Ao nascermos de uma única célula, a qual se multiplica em cerca de 100 trilhões de outras células variadas, flexíveis e ativas, toda programação da primeira célula está presente no seu núcleo, o qual engloba um enorme conjunto de átomos, em forma espiral, onde átomos de magnésio se agrupam. Na formação das novas células, o magnésio escolhe as substâncias programadas, todas de origem animal, como único material de construção, até por volta dos 6 anos de idade, para a formatação do cérebro, evitando a deficiência mental. Assim, cada partícula celular sabe e segue o programa metabólico da primeira célula. Portanto, o magnésio participa ativamente da construção celular, da fixação do cálcio no esmalte dos dentes e no bom funcionamento imunológico.

            Se faltar magnésio na formação das células, o cálcio invade o seu lugar, e as células perdem a atividade e a flexibilidade, e a consequência é um corpo endurecido, envelhecido e cansado e, o cálcio, quando sozinho, mata pelo menos 80% por doenças como calcificações, artrites, ciáticas incuráveis, cânceres, infartos, e outras milhares de doenças.

            Não há substituto para o magnésio na fisiologia humana. Nada se aproxima dele em termos de seu efeito sobre a fisiologia celular global. Sem magnésio suficiente, o corpo acumula toxinas e resíduos ácidos, degenera rapidamente e envelhece prematuramente.

Edson Luís Severo é Educador Físico, Especialista em Fisiologia do Exercício e Especialista em Gerontologia

Não há substituto para o magnésio na fisiologia humana. Nada se aproxima dele em termos de seu efeito sobre a fisiologia celular global. Sem magnésio suficiente, o corpo acumula toxinas e resíduos ácidos, degenera rapidamente e envelhece prematuramente.

X