Bem-estar

15/06/2017 06h30

Uma outra reposição hormonal

Descubra o que são e como funcionam os hormônios bioidênticos

Por Nosso Bem Estar

Depositphotos
M3 1

Hormônios bioidênticos

Assim como as máquinas precisam de insumos para operar, o corpo humano segue a mesma lógica. Parte de toda a “programação” do organismo depende dos hormônios. De forma natural, eles são fabricados pelas glândulas do corpo, mas, depois dos 30 anos, essa produção começa a sofrer quedas, também chamadas de pausas hormonais. É o que acontece, por exemplo, quando as mulheres chegam à menopausa.

Nesses casos, a terapia hormonal pode ser indicada para repor as taxas dessas substâncias químicas, e, consequentemente, diminuir os efeitos desse choque no organismo. Afinal, os hormônios são os grandes responsáveis pelo funcionamento e controle do corpo humano.

Para iniciar uma reposição, no entanto, existem duas maneiras: o uso de hormônios sintéticos ou de hormônios bioidênticos. De qualquer forma, antes de definir o caminho para a terapia, é preciso descobrir a idade biológica do indivíduo. Esses termos e procedimentos, à primeira vista, podem parecer mais complicados do que realmente são, e é exatamente por isso que, no artigo de hoje, vamos esclarecer algumas das principais dúvidas sobre o assunto. Acompanhe.

Quais os papéis dos hormônios no organismo?

Os hormônios naturais, ou seja, que são produzidos pelas glândulas do corpo humano, respondem por uma série de processos do organismo. Dentre os principais, estão:

  • Testosterona: também conhecido como hormônio masculino. Essa substância é responsável pelas características sexuais dos homens, como a maturação dos órgãos sexuais, desenvolvimento de pelos, barba, músculos, etc.
  • Estrógeno: é o hormônio feminino produzido pelo ovário, e tem como função o desenvolvimento de características sexuais femininas.
  • Progesterona: é produzido pelo corpo lúteo e responsável pela manutenção das células de revestimento do útero, bem como pela produção de leite.
  • GH: também conhecido como hormônio do crescimento. Ele é produzido pela adenohipófise.
  • Insulina: fabricado pelo pâncreas. Atua na redução da taxa de glicose no sangue e é o responsável pela absorção da substância pelas células.
  • Melatonina: produzida pela glândula pineal. É responsável, principalmente, pela regulação do sono.
  • Hormônios tireoidianos: são as substâncias produzidas pela tireoide, T3 e T4, que têm função de regularizar o metabolismo do organismo.

 

O que é a idade biológica?

Já se foi a época em que a idade cronológica era um parâmetro de avaliação de um indivíduo. Além da idade, as escolhas durante a vida, referentes aos hábitos, influenciam na longevidade e, consequentemente, em todos os processos que acompanham o envelhecimento.

O sedentarismo, o fumo, o stress, a obesidade e outros hábitos, somados a fatores orgânicos, podem desencadear processos de deficiências hormonais e nutricionais, levando a uma abreviação de até 30 anos na expectativa de vida. Ou seja, pessoas com a mesma idade passam pelo envelhecimento de maneira individual, e é apenas com uma análise desses marcadores, por meio de exames laboratoriais, que é possível chegar à idade biológica do indivíduo, bem como às substâncias que precisam ser repostas para um melhor funcionamento do organismo.

Como funcionam os hormônios bioidênticos?

As terapias hormonais clássicas usam os chamados hormônios sintéticos, ou seja, substâncias que possuem uma estrutura molecular diferente dos hormônios produzidos de forma natural pelo organismo. A grande questão é que, por serem sintéticos, eles não se encaixam de forma perfeita nos receptores de hormônios das células, o que faz com que elas não recebam as “mensagens corretas”. Com o tempo, essa falta de encaixe acaba gerando, em organismos geneticamente susceptíveis, um aumento na incidência de alguns tipos de câncer.

É exatamente por isso, que os hormônios bioidênticos representam um avanço da medicina, no que diz respeito às terapias de reposição. Ao contrário dos sintéticos, essas substâncias têm exatamente a mesma estrutura molecular dos hormônios produzidos pelo corpo humano. Eles se encaixam de maneira perfeita aos receptores das células e podem anular os riscos de desenvolvimento de doenças a partir da reposição hormonal.

E você, já fez um acompanhamento das taxas hormonais para saber se precisa de uma terapia de reposição? Ficou com alguma dúvida sobre como agem os hormônios bioidênticos e quais as suas funções no organismo? Escreva pra gente pelos comentários e até a próxima. 

X