Crescimento pessoal

19/04/2017 06h30

EMDR, que terapia é esta?

Conheça mais sobre esta técnica poderosa, que pode aliviar o sofrimento e promover realizações.

Por Nosso Bem Estar

Adobe Stock
M23

Atinja um novo patamar de desempenho com a EMDR

Você acredita que todo o seu potencial está desenvolvido? Pode e quer ir além? Existe uma terapia chamada EMDR que estimula de maneira positiva o cérebro, melhorando o seu desempenho. O nome vem das iniciais, em inglês, de Dessensibilização e Reprocessamento por Movimentos Oculares. É uma terapia que trabalha com os dois hemisférios do cérebro, o direito e o esquerdo.

No direito, são comandadas nossas situações artísticas e emocionais, enquanto no esquerdo predominam os lados lógicos e racionais. Porém, é na passagem de informações entre os hemisférios que podem ocorrer bloqueios, o que dificulta a expressão da razão, da emoção e da ação.

Os movimentos oculares

Você já deve ter percebido que os olhos se movimentam durante o sono. Isso é reflexo do processamento das atividades do dia, que flui em várias regiões do cérebro.

Os sonhos geralmente acontecem nessa etapa, pois as experiências vividas naquele dia são repassadas e há processamento e reciclagem das informações. Contudo, se o cérebro não consegue processar alguma situação, há um trauma. Eles são causados por inúmeras experiências, como a perda de alguém, abuso sexual, violência, etc. Isto acaba trazendo consequências, como: sofrimento e energia desperdiçada.

E mais: essas “feridas cerebrais” refletem o passado, pois revivem imagens ou situações, lembranças ou ações. É uma tentativa do cérebro processar novamente essas experiências. Elas podem tanto ser boas quanto ruins, pois se repetem e podem gerar novos traumas.

Como atua a EMDR

O lado ruim você já conheceu, mas o bom é que a EMDR pode ajudar a pessoa na tentativa de processar as informações. A terapia destrava o bloqueio causado entre os hemisférios cerebrais, fazendo com que essas barreiras causadas pelos traumas percam força.

Com a terapia, o cérebro conseguirá processar as experiências, pois é gerado um fluxo intenso de adaptação àquela situação, trazendo a cura e até mesmo superação do trauma. Ele não será esquecido, mas não será mais um impedimento para seguir em frente. O trauma se tornará apenas uma lembrança do passado, sem prejudicar o presente.

Para o psicólogo Maury Braga, que possui mais de 25 anos de experiência clínica com pacientes no consultório, os resultados mais claros obtidos com a Terapia EMDR acontecem nos casos de TEPT (transtorno de estresse pós-traumático), pois é a terapia de primeira escolha reconhecida e recomendada pela OMS. “O tratamento dos traumas em geral mostram resultados promissores com a Terapia EMDR, independente se eles aconteceram na infância ou idade adulta. Sempre quando pensamos em algo ruim que nos aconteceu no passado e junto com esse pensamento vem sensações físicas ou emocionais desagradáveis, parecendo que estamos revivendo o fato, indica que algum trauma ainda está presente, mesmo que tenha acontecido há muito tempo” afirma Maury.

Como a terapia acontece?

O que causa a melhora do desempenho e superação dos traumas é a realização da terapia em algumas etapas chaves, tais como:

  • Questionamentos para ativar regiões do cérebro em seus hemisférios;
  • Estímulos que promovem o fluxo de energia nas diferentes regiões cerebrais, integrando-as e transformando-as.

Outro ponto importante é que as pessoas participam conscientes de todas as sessões, porque é fundamental para o cérebro entender que a situação se passa no presente e que os traumas estão no passado.

Quem pode se beneficiar com a terapia?

Todo mundo, especialmente quem:

  • Deseja aprimorar seu desenvolvimento, melhorando seu desempenho em diversas áreas, como carreira, artes, esportes, aprendizado, etc.;
  • Precisa controlar o estresse;
  • Quer trazer energias positivas para sua vida;
  • Deve preparar-se para procedimentos cirúrgicos ou internações hospitalares;
  • Possui deficiência auditiva ou visual - pois há estimulação dos sentidos.

 

Os resultados vêm rapidamente?

Na maioria das vezes sim, devido ao fluxo intenso e rápido do processamento de informações. Assim, a terapia é ágil e os resultados esperados também. Geralmente, o paciente está cansado dos traumas por que passou e também de revivê-los, por isso a EMDR age rastreando o problema, com necessidade de fala reduzida.

Esse rastreamento também consegue informar e adaptar o cérebro ao trauma, até mesmo sem que seja detectada a sua origem, promovendo a cura. Assim, ele sente a melhora rapidamente, gerando harmonia e mudanças que podem, inclusive, ser vistas por tomografia. É algo fisiológico, não somente psicológico.

O grande diferencial da terapia EMDR está na velocidade da melhora que o paciente apresenta. Segundo o psicólogo Maury: “dependendo do caso, da história vivida do paciente, em poucas sessões já é possível observar mudanças no comportamento, sentimentos e pensamentos. Em traumas mais complexos, com histórico de depressão ou infância muito traumática, o tratamento é mais longo, feito em meses ou até mesmo anos”.

A terapia deve ser realizada por profissionais de psicologia e psiquiatria, devidamente capacitados pelo EMDR Institute. Se a pessoa não for treinada adequadamente, os sintomas podem piorar e até mesmo causar uma retraumatização no paciente.

Se você ficou interessado na técnica, procure um especialista em sua região. “É uma terapia para os tempos atuais, onde o paciente tem um papel mais ativo, escolhendo junto com o terapeuta o que gostaria de ser trabalhado” completa Maury.

 

Indicação para se fazer a EMDR

  • Traumas, como assaltos, abusos sexuais e/ou físicos.
  • Fibromialgia;
  • Transtorno bipolar;
  • Fobias;
  • Dificuldades de se relacionar;
  • Gagueira;
  • Problemas de desempenho sexual;
  • Depressão;
  • Perda de entes queridos;
  • Baixa autoestima, entre muitos outros.
X