Saúde Integral

23/02/2017 07h30

Verão na prática

Você já ouviu falar em waterline? E SUP Yoga? Pois saiba que esses esportes conquistam cada vez mais adeptos, proporcionando saúde e bem estar – mesmo no calor!

Por Filipe Marcel

Flickr
M3 1b

Adaptação perfeita para o verão

As temperaturas andam bastante altas no Brasil. Com isso, algumas práticas esportivas vem ganhando variações que estão servindo para levar os praticantes a lugares, digamos, um pouco mais refrescantes. Uma dessas adaptações, por exemplo, foi levar a bicicleta para dentro do mar. Graças à duas boias acopladas na lateral, qualquer um já pedalar sobre a superfície. A Water Bike chega a uma velocidade de 16 km/h e tem preços que podem variar de 400 reais a 6 mil reais. “A vantagem da bike aquática é que ela anda para frente e para trás e tem se mostrado um ótimo exercício para esse verão escaldante. Ela pode ser usada por pessoas de todas as idades, sem contraindicação e ainda são fáceis de transportar, pois a maioria das bóias são infláveis”, destaca Mauro Fagundes, proprietário de uma loja especializada, que só no mês de janeiro afirma ter vendido 27 unidades.

Outra prática que ganhou ainda mais força nesse verão é o slackline, que utiliza uma fita esticada, geralmente entre duas árvores, para que o praticante possa testar o seu equlíbrio, caminhando sobre ela. Recentemente, o slackline ganhou uma versão na água, o waterline, que utiliza as rochas das praias ou de rios como pontos de fixação dessas fitas. “Eu sempre gostei de esportes ao ar livre, mas ainda não encontrei nada melhor que o waterline, pois quando caio, vou direto para dentro da água”, conta a catarinense Fernanda Ruivo, 27 anos, que experimentou a prática no verão do ano passado e desde então nunca mais parou. “Além de ajudar no equilíbrio, o waterline ajuda no fortalecimento da musculatura, desenvolvimento da concentração e até na diminuição do estresse”, emenda.

Mas nada parece se comparar ao Stand Up Paddle, ou SUP. Com uma prancha e um remo, o esporte mais queridinho desse verão pode ser praticado por pessoas de qualquer idade. “A prancha é maior e mais cara que as convencionais, mas a prática tem me ajudado bastante na concentração e no equilíbrio, e ainda fortalece braços, pernas e abdome, queimando muitas calorias”, ressalta a estudante Denise Martins, 19 anos, que nesse verão teve seu primeiro contato com uma variação da modalidade, o SUP Yoga, na qual o praticante vai para cima da prancha para experimentar posições de yoga. “Adorei praticar yoga no mar, em cima da prancha. Acho que esses momentos de integração com a água, testando cada posição, me dão muita alegria. Já consegui praticar sozinha e em grupo. A sensação é indescritível”, destaca a jovem.

Suor a pino

Para quem gosta de algo mais radical, uma prática muito parecida com o surfe voltou com tudo nesse verão: o skimboard. Também conhecido como “sonrisal”, esse esporte pode ser praticado com uma pranchinha – geralmente de madeira – usada para deslizar na beira do mar. Há também aqueles que buscam mais adrenalina, que encontraram no Flyboard a brincadeira ideal. Trata-se de uma invenção do piloto francês de jet ski Franky Zapata, que acoplou em um colete um jato de água dirigido para baixo, capaz de impulsionar a pessoa em até dez metros de altura. O equipamento já foi mostrado em diversos programas de tevê e já é uma verdadeira febre em algumas cidades do país. Uma outra opção para quem curte voar alto, sem sair da água, é o kitewave, que reúne manobras do surfe com o uso de uma pequena vela similar ao parapente. Com ele é possível pegar ondas em alta velocidade e também seguir mar adentro. Tudo com a ajuda do vento.

Já na areia, é possível aproveitar a junção do tênis de quadra com o frescobol. O beach tennis utiliza raquetes especiais, de fibra de carbono, além da tradicional rede junto ao chão, para levar o bate bola descontraído da beira do mar para outro patamar. O esporte tomou conta de Florianópolis nessa temporada e tem tudo para chegar a outras regiões. De Fernando de Noronha para o resto do Brasil: o Plana Sub é um mergulho feito com uma prancha de mão, onde é possível ver paisagens submarinas. Muito difundida em regiões onde o mar é mais calmo, a atividade é feita com a ajuda de um barco e requer um ótimo preparo físico. Nesse verão, algumas cidades litorâneas aderiram à pratica, inclusive no sul do país.

Vale lembrar que os “atletas de verão” devem tomar alguns cuidados, já que a falta de preparo e condicionamento pode causar lesões. Em alguns casos, é necessário que haja, inclusive, uma avaliação médica. Com essas dicas na mão, agora é aproveitar o calor.

X