Crescimento pessoal

28/11/2016 08h00

Profissionais de saúde precisam de espiritualidade

Quando cuidamos de alguém, a compaixão que expressamos têm sua origem na Mente divina, que elimina o falso senso de responsabilidade própria e nos dá a capacidade de fazer bem o nosso trabalho.

Por Leide Lessa

Arquivo Nosso Bem Estar
Doc

A exigência espiritual proporciona energia e resistência que superam todos os outros auxílios

Não fiquei surpresa ao ler que alguns hospitais e executivos de empresas de seguro de saúde não só tentam proporcionar um ambiente físico mas também espiritualmente sanador. Isso significa permitir e dedicar alguns momentos todos os dias para refletir, orar e participar em atividades comunitárias. Hoje, considera-se que a saúde espiritual também é uma estratégia de negócios.

Há dois anos tive a oportunidade de dar uma palestra aos professores da Escola de Enfermagem da Universidade Autônoma de Tamaulipas, na Cidade Victoria, México, sobre a importância da espiritualidade no seu trabalho. Entre várias ideias, compartilhei minha própria experiência, contando como me preparo mentalmente para melhor ajudar as pessoas. Comentei que eles poderiam fazer o mesmo. A receptividade foi tão grande que a professora e enfermeira-chefe do hospital pensou em oferecer uma palestra para os enfermeiros que trabalham sob a sua responsabilidade. Por isso, em novembro do ano passado voltei para a faculdade. A presença foi de mais de 100 profissionais de saúde daquele hospital.

Para todos nós que trabalhamos com saúde, independentemente da experiência que temos, é muito importante cuidar de nossa própria saúde em primeiro lugar, pois assim podemos cuidar melhor dos pacientes. Um grande exemplo de profissionalismo e até mesmo de superação dos limites humanos e amor incondicional foi o de Florence Nightingale, fundadora da enfermagem moderna, que uma vez disse que seu sucesso se deveu ao fato de que "nunca deu ou aceitou uma desculpa" para deixar de ajudar ou de fazer o bem.

Como teóloga e contemporânea de Nightingale, Mary Baker Eddy explica que "filantropos empenhados em obras humanitárias [puderam] suportar, sem sucumbir, a fadiga e os riscos que a maioria das pessoas não teria aguentado", porque eles recebiam "o sustento da lei divina, que está acima da lei humana. A exigência espiritual proporciona energia e resistência que superam todos os outros auxílios, e impedem a penalidade que nossas crenças associariam às nossas melhores ações."

Quem não quer trabalhar sem se cansar, sem se expor ao perigo, sentindo-se sempre cheio de energia? Para alcançar esse objetivo, a qualidade do nosso pensamento é o mais importante. Reconhecer que quando cuidamos de alguém, a compaixão, a motivação e a sabedoria que expressamos têm sua origem na Mente divina, Deus, que elimina o falso senso de responsabilidade própria, e nos dá a capacidade de fazer bem o nosso trabalho.

É por isso que os profissionais de saúde precisam de espiritualidade. Reservar alguns momentos todos os dias para reconhecer que a fonte de energia, sabedoria e tranquilidade é divina, além de aceitar o Amor divino como o verdadeiro sanador, o alimento que todos nós precisamos, tanto para ajudar nossos semelhantes, quanto para cuidar da nossa saúde mental e emocional.

 

Leide Lessa é conferencista e professora da Ciência Cristã e escreve reflexões sobre saúde e espiritualidade.

X